Exportação de nutrientes do milho

Exportação de nutrientes do milho

Compartilhar

Exportação de nutrientes do milho. A nutrição de plantas e o equilíbrio nutricional são alguns dos principais fatores que podem influenciar a produtividade de uma cultura, e com o milho (Zea mays) não é diferente. Pode-se dizer que os nutrientes frente ao requerimento da cultura podem ser divididos em macro e micronutrientes, onde o que difere basicamente é a quantidade requerida de cada um deles. Nutrientes como Nitrogênio (N), Fósforo (P) e Potássio (K) são considerados macronutrientes por serem requeridos em maiores quantidades enquanto Boro (B), Zinco (Zn), Molibdênio (Mo) entre outros são considerados micronutrientes por serem requeridos em pequenas quantidades pelas plantas.

Embora a quantidade requerida de micronutrientes pela planta seja muito inferior a quantidade requerida de macronutrientes, ambos desempenham funções essenciais para o crescimento e desenvolvimento vegetal, refletindo na boa produtividade da cultura. Sendo assim, a deficiência de alguma desses nutrientes pode resultar em perdas produtivas ou limitação da produtividade do milho. Dessa forma, conhecer a extração e exportação de nutrientes do milho é indispensável para realizar um adequado manejo da fertilidade do solo, visando suprir as exigências da cultura e obter altas produtividades de milho.

A extração e exportação de nutrientes do milho foi estudada por diversos autores ao longo do tempo e varia principalmente de acordo com a produtividade da cultura. Martins (2019) demonstra os resultados de extração e exportação de nutrientes da cultura do milho obtidos por diversos autores. Esses resultados podem ser observados na tabela 1.

Tabela 1. Extração e exportação de nutrientes na cultura do milho. Resultados obtido por distintos autores.

Embora tanto extração quanto exportação de nutrientes sejam de suma importância para o manejo da fertilidade do solo, a fim de repor os nutrientes em um sistema de produção, deve-se atentar principalmente para a quantidade de nutrientes exportados, uma vez que os nutrientes exportados são efetivamente retirados do sistema de produção em forma de grãos. Conforme destacado por Duarte et al. (2018), a exportação total de nutrientes na cultura do milho aumenta linearmente com o aumento de produtividade, correspondendo a 2,1% de nutrientes nos grãos com 13,5% de umidade.

Essa relação é ainda mais íntima se tratando de nutrientes com maior concentração nos grãos, como é o caso do Nitrogênio, Fósforo  e Potássio. Embora Duarte et al. (2018) destacam haver variação entre a exportação de nutrientes na cultura do milho em função da produtividade especialmente se tratando do Nitrogênio, é perceptível o comportamento linear.

Figura 1. Exportação de Nitrogênio, Fósforo e Potássio nos grãos de milho.

Levando-se em consideração os valores médios  (o maior entre safra e safrinha) e, no caso do P e K, que são muito críticos para cálculo da adubação do milho, os valores máximos em 90% das lavouras, sugere-se utilizar no Brasil os seguintes valores de referencia para o cálculo da exportação de nutrientes pelo milho: N = 14,0; P = 2,6; K = 3,7; Ca = 0,1; Mg = 1,1; S = 1,0 (g.kg-1) Fe = 15,0; Mn = 5,0; Cu = 2,0; Zn = 18,0; B = 5,0 (mg.kg-1) (Duarte et al., 2018).

Esses valores apresentados por Duarte et al. (2018), oriundo de estudos mais atualizados permitem melhor planejamento e manejo da cultura. Embora possa haver grande variação entre ambientes de cultivo e cultivares em território nacional, os autores destacam que não se justifica a diferenciação de valores de referência por época de semeadura do milho. O que pode-se observar é que de modo geral, destacam-se teores ligeiramente superiores de N, Fe e B na safra verão, e de Ca e Cu na safrinha.

Referências:

DUARTE, A. P. et al. CONCENTRAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE NUTRIENTES NOS GRÃOS DE MILHO. IPNI, Informações Agronômicas, n. 163, 2018. Disponível em: <  http://www.ipni.net/publication/IA-BRASIL.NSF/0/59DBFDA8B791955E832583290046AA6F/$FILE/Page12-16-163.pdf >, acesso em: 01/07/2021.

MARTINS, G. TABELA DE EXTRAÇÃO E EXPORTAÇÃO DOS NUTRIENTES NA CULTURA DO MILHO. Nutrição de Safras, 2019. Disponível em: < https://www.nutricaodesafras.com.br/tabela-de-extracao-e-exportacao-dos-nutrientes-na-cultura-do-milho/ >, acesso em: 01/07/2021.

Agron Home

Veja também: Indianos querem mais algodão brasileiro

—SIGA NAS REDES SOCIAIS —
Twitter: https://twitter.com/agrotwit

Facebook: https://www.facebook.com/PortalAgron
Instagram: https://www.instagram.com/portalagron
Youtube: https://www.youtube.com/portalagron
Grupo Telegram Agron pecuária: https://t.me/portalagron_pecuaria
Grupo Telegram Agricultura: https://t.me/portalagron_agricultura
Canal Telegram: https://t.me/portalagron
Site: https://agron.com.br
https://linktr.ee/Portalagron

Fonte: Equipe Mais Soja. Por: Maurício Siqueira dos Santos.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *