raças de gado bovino

Conheça as principais espécies de raças de gado bovino

Compartilhar

Quando falamos de raças bovinas, é importante compreender que há duas categorias de bois definidas a partir dos locais de origens .

Os grandes resultados que a pecuária brasileira traz para o desenvolvimento econômico do país não é surpresa para ninguém. A comercialização de produção derivados da criação de gado bovino representou 21,4% do PIB brasileiro junto a outros tipos de bens e serviços do agronegócio no ano de 2019.

O sucesso da produção pecuária em nosso país se deve a vários fatores, dentre eles podemos destacar a sábia escolha das raças de gado visando a melhor adaptação do animal em relação a temperatura do ambiente e ao solo da fazenda em que será criado.

Com uma gestão eficiente, os grandes pecuaristas do país mantém o controle do rebanho de acordo com o tipo de pasto que possui, acompanhando o ciclo completo de cada raça e implementando dietas personalizadas. Logo, é vital conhecer todas as características do animal e utilizar as melhoras técnicas na sua criação e reprodução.

Quando falamos de raças bovinas, é importante compreender que há duas categorias de bois definidas a partir dos locais de origens:

Raças Taurinas: são os bois de origem europeia;

Raças Zebuínas: referente aos bois de origem asiática e que tiveram grande adaptabilidade no Brasil devido ao clima. Mais da metade do rebanho brasileiro é derivado dessa categoria de gado.

Para aprofundarmos no assunto, listamos as principais raças de gado para que você aprenda sobre as origens das raças bovinas, as principais vantagens de cada raça e para qual finalidade elas performam melhor. Confira:

Raça Guzerá

Originário da Índia, a raça Guzerá estreou a presença da raça zebuína no Brasil, chegando em nossas terras no ano de 1870. Esse tipo de rebanho apresenta grande resistência a longos períodos de seca, tem alto nível de fertilidade e porte grande.

Além do bom rendimento da carcaça, são conhecidos pela habilidade materna e por serem uma raça de gado de corte ou servir na produção leiteira, sendo capazes de produzir até 5 mil litros de leite por lactante quando adultos.

Raça Charolês

A raça Charolês tem origem francesa e se adaptam facilmente a regiões de clima temperado como o Sul do Brasil, com destaque para o estado do Rio Grande do Sul. São animais musculosos, de porte avantajado e conhecidos por chegar à fase de reprodução e ao ciclo de abate mais rapidamente.

Os bois dessa raça também apresentam pouca gordura superficial e alta marmorização. Eles podem ser criados no sistema a pasto ou em confinamento. Em relação a cruzamentos industriais, a raça Charolês é comumente utilizada.

Raça Wagyu

Nascidos e criados no Japão, os bois da raça Wagyu ofertam uma carne tenra e apreciada no mundo todo. Seu alto valor está relacionado às restritas diretrizes de criação. Toda a reprodução da raça é monitorada individualmente, sendo registrado informações de cada vaca, como linhagem, data e local de nascimento.

O alto nível de manejo desse gado requer ar fresco, fazendas com grandes espaços para o gado e cuidados individualizados. Para averiguar a legitimidade da carne Wagyu, a Associação das Indústrias Pecuárias do Japão utiliza um logotipo exclusivo para as carne Wagyu produzida por lá.

Assim, é possível diferenciá-las de carnes híbridas com origem em países como Estados Unidos, Austrália e Reino Unido.

Raça Nelore

A raça de origem indiana, Nelore, representa 80% da produção de carne de boi no Brasil, sendo predominante nos estados do centro brasileiro. Com pelagem espessa, ela possui boa resistência a ataque de parasitas, adaptando-se muito bem ao clima de quase todas as regiões do Brasil.

Apresentam alta longevidade reprodutiva e as fêmeas são conhecidas por ter partos fáceis, sendo muito protetoras com os bezerros. A raça Nelore pode chegar a 20 arrobas quando completam 26 meses, resultando em um rendimento de 50 a 55% com uma dieta de pastagens.

Raça Angus

A raça Angus se destaque dentre as raças taurinas pelo sabor e maciez de sua carne. Apresentando alta precocidade, os bois Angus chegam à puberdade e a fase de corte mais cedo quando comparado com o ciclo de outras raças. Além disso, é interessante destacar a resistência do animal contra enfermidades e a sua fácil adaptação ao clima do nosso país.

Raça Brahman

De origem norte-americana e raças zebuínas, as fêmeas Brahman são utilizadas amplamente nos cruzamentos industriais. A raça contribui geneticamente para aumentar o peso do animal e a qualidade da carne. Além da excelência no rendimento da produção e reprodução, a raça Brahma se adapta a climas quentes e climas frios.

Raça Senepol

Com alta adaptação ao calor e à umidade do clima brasileiro, a raça Senso veio para o nosso país nos anos 2000 e se tornou um sucesso por aqui. Por ter grande capacidade de transformar proteína vegetal em animal, a raça Senepol tem crescimento acelerado e chegam à fase de corte mais rapidamente. Também é válido apontar a sua resistência à parasitas e qualidade na reprodução.

Raça Gir

Principal rebanho da produção leiteira do país, a raça Gir é resultado do cruzamento da vaca holandesa e apresenta comportamento dócil. Tem ciclos de produção e reprodução maiores, o que a torna uma raça de baixo custo de produção. Sua alta resistência a doenças também é uma característica de destaque.

Raça Jersey

Trazidos para o Brasil em 1896 das terras inglesas, o gado Jersey são animais de pequeno porte. Os animais dessa raça são dóceis e se adaptam a diversos tipos de manejo, além de produzirem bem em diferentes tipos de clima.

Por serem menores que as outras raças, é possível ter uma taxa de lotação por hectare maior que outros rebanhos. Para a produção de leite, os animais apresentam úbere (mama) com boa proporção e produzem um leite mais nutritivo devido as grandes porcentagens de proteína e outros componentes no produto final.

A alta competitiva da pecuária brasileira no cenário mundial está relacionada diretamente na constante busca por melhoramento genético e geração de linhagens cada vez mais produtivas. Agora que você conhece as características das principais raças de gado, fica mais fácil aperfeiçoar a produtividade e a rentabilidade da sua criação bovina!

Agron Home

Veja também: Conheça as principais doenças do confinamento e como prevenir

Fonte: Agroline.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *