Atraso na colheita de soja centra atenções no mercado

Compartilhar

A boa alta de Chicago deve garantir preços melhores para a soja no mercado brasileiro nesta segunda. Mas o ritmo dos negócios deve seguir lento, com os produtores fora do mercado e atentos ao desenvolvimento da colheita, que segue atrasada devido ao excesso de chuvas.

O mercado brasileiro de soja apresentou poucos negócios e preços mais firmes na maioria das regiões produtoras na sexta. A alta do dólar sustentou as cotações em níveis nominais.

O produtor segue atento à evolução da colheita, que segue arrastada, devido ao excesso de chuva. Em alguns estados, a situação preocupa, caso de Tocantins.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos permaneceu em R$ 166,00. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 165,00. No porto de Rio Grande, o preço subiu de R$ 171,00 para R$ 173,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço avançou de R$ 157,50 para R$ 159,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca aumentou de R$ 167,50 para R$ 171,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca passou de R$ 157,50 para R$ 158,00. Em Dourados (MS), a cotação caiu de R$ 153,00 para R$ 152,00. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 156,00 para R$ 155,00.

Colheita

A colheita da safra nova de soja 2020/21 do Brasil está em 22,5% da área total esperada até o dia 26 de fevereiro. A estimativa parte de levantamento de SAFRAS & Mercado. Na semana anterior o índice estava em 12,4%.

Os trabalhos estão atrasados em relação ao ano passado, quando 39,6% da safra já estava colhida, e também atrás da média normal para o período, que é de 35,3%.

Chicago

Os contratos com vencimento em maio operam com alta de 1,12%, cotados a US$ 14,20 por bushel.

O mercado busca uma recuperação frente às perdas acumuladas no final da semana passada.

O atraso nos embarques do Brasil atua como fator de suporte, pois deve representar maior demanda pela soja norte-americana.

Prêmios

O prêmio em Paranaguá para março ficou em -15 a +14 sobre Chicago. Para abril/maio, o prêmio é de 6 a 21 pontos acima.

Câmbio

O dólar comercial registra desvalorização de 0,16% a R$ 5,591.

Indicadores financeiros

As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +1,21%. Tóquio, +2,41%.

As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +1,18%; e Londres, +1,34%.

O petróleo opera em alta. Abril do WTI em NY: US$ 62,06 o barril (+0,91%).

O Dollar Index registra alta de 0,21%, a 91,07 pontos.

Fonte: Agência SAFRAS.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: