Deputado dos EUA que deseja barrar exportações do BR

Compartilhar

Deputado dos EUA que deseja barrar exportações do Brasil mira em Trump e Bolsonaro, diz analista.

O deputado dos Estados Unidos, Peter DeFazio, do Partido Democrata, propôs nesta terça-feira (10) uma lei para proibir a importação de alguns produtos brasileiros e também para barrar a negociação de um acordo de livre comércio entre os dois países.

O motivo do boicote aos produtos e ao acordo é a recente crise do aumento do número de incêndios na região da Amazônia.

O projeto intitulado Lei para Agir pela Amazônia propõe barrar a importação de carne, soja, couro, madeira, açúcar, tabaco, papel, milho e petróleo do Brasil.

Para Creomar de Souza, professor da Universidade de Brasília (UnB) e fundador do Dharma Political Risk and Strategy, a proposta de Peter DeFazio tem como objetivo atingir o presidente Bolsonaro, mas especialmente atingir também o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já de olho na eleição presidencial que se aproxima.

“Acredito que ele está atirando em um para acertar em dois. Ele mira de um lado no presidente Bolsonaro e de outro em Trump”, disse à Sputnik Brasil.

A proposta de DeFazio, que tem o apoio de outros 14 congressistas, prevê também a suspensão de assistência militar ao país por conta da situação da Amazônia.

Creomar de Souza, no entanto, é cético quanto ao efeito prático da proposta do deputado norte-americano.

“O que nós temos visto é que normalmente essas iniciativas não prosperam tanto, isso quer dizer o que elas geram, um determinado burburinho, mas até pelo fato de outros interesses que acabam afetando essas questões, elas não se tornam tão práticas”, afirmou.

Segundo a análise de Creomar de Souza, não é o momento do governo brasileiro dar muita atenção a esse tipo de declaração.

“Não cabe a representação diplomática brasileira neste momento dar algum tipo de palanque para essa interpretação que foi posta”, complementou.

Deputado dos EUA propõe lei para barrar importação brasileira

Pela Amazônia, democrata quer impedir importação de carne, petróleo e soja e também evitar acordo de de livre-comércio com Brasil.

O deputado democrata Peter DeFazio apresentou projeto de lei na Câmara dos Estados Unidos, nesta terça-feira (10/09/2019), para proibir a importação de produtos brasileiros como carne e soja, em resposta ao aumento das queimadas na Amazônia. O texto também prevê a proibição de uma negociação de livre-comércio entre EUA e Brasil.

O projeto de lei do congressista fala em proibir ainda importações de produtos como couro, açúcar, milho e tabaco do Brasil. Em nota publicada no site do deputado, o democrata critica presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e dos EUA, Donald Trump.

“O presidente Jair Bolsonaro acredita que pode agir impunemente e acelerar a destruição da floresta amazônica, e ele precisa saber que há consequências reais por suas ações imprudentes”, disse. O parlamentar alega ainda que o desmatamento na Amazônia pode ter efeitos significativos nas chuvas nos EUA e afetar a produção americana.

No mesmo dia, outros deputados americanos discutiram em uma audiência pública a política ambiental do governo Bolsonaro, no Comitê de Relações Exteriores da Câmara. Os parlamentares sinalizaram, no entanto, que negociações de um acordo comercial entre os dois países não devem ser barradas pela crise ambiental.

O governo de Donald Trump tem sido o mais importante aliado de Bolsonaro no debate internacional sobre a situação da Amazônia.

Senadores democratas chegaram a enviar uma carta ao representante de comércio americano pedindo a suspensão de tratativas comerciais com o Brasil até que a situação das queimadas na Amazônia fosse solucionada. A ideia é que um futuro acordo facilite trâmites, aumente a relação comercial e investimentos.

O chanceler brasileiro Ernesto Araújo tem reunião no Departamento de Estado, em Washington, nesta semana, quando deve tratar do tema. A ideia de um acordo de comércio tem sido desenhada pelos dois lados, mas ainda não ganhou caráter oficial. Os EUA costumam comunicar o Congresso quando dão início formal às tratativas para um acordo.

No debate desta terça-feira (10/09/2019), no entanto, mesmo entre democratas – oposição ao governo Trump -, não houve sinalização de que a questão ambiental possa ser um impeditivo para um futuro acordo com o Brasil.

O deputado democrata Albio Sires disse não ver a imposição de condições ao acordo como a saída para os americanos exercerem pressão sobre o Brasil. “Vamos trabalhar juntos, vamos encontrar uma solução, o que podemos fazer juntos para isso. Nesse momento, essa (condições) não é uma boa abordagem”, afirmou.

Outro democrata, Dean Phillips disse a jornalistas que ainda não tem posição formada sobre a necessidade de incluir condições a respeito de política ambiental para aprovação de um possível acordo. “Há desafios no uso desses instrumentos, mas temos que olhar todas as opções”, disse.

Fonte: br.sputniknews.com / metropoles.com


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: