Atualização de previsões climáticas

Compartilhar

SAFRA 2019/20.

Alguns comentários pré-boletim

• O inverno/2019 está sendo um dos mais secos e quentes dos últimos anos; Apesar de algumas localidades terem registrado chuvas até o começo de julho e até mesmo agora em agosto, as altas temperaturas que vem ocorrendo, estão ocasionando um aumento nas taxas de evapotranspiração e com isso, os solos em grande parte do Brasil, com exceção apenas do RS, apresentam-se sob forte estresse hídrico;

• Dessa forma, apesar do n° de focos de queimadas que vem ocorrendo esse ano, estar menor do que em anos anteriores, a percepção é de um aumento desse índice;

• E a tendência, como iremos observar nos próximos slides é de um setembro ainda bastante seco e quente em grande parte do BR;

Monitoramento da temperatura das águas dos Oceanos

• Se observarmos as temperaturas das águas do Pacífico central, poderemos notar que, nesse momento, as temperaturas estão abaixo da média, principalmente na região do Niño 1+2 (região costeira da América do Sul);

• Desse modo, a atmosfera está “entendo” que está sob influência de uma La Niña e com por conta disso, os modelos de previsão sinalizam que a regularização do regime de chuvas só deverá ocorrer, de fato, durante a 2ª quinzena de outubro e mais especificamente, ao longo do mês de novembro – em toda região central e norte do Brasil. Ou seja, PR, todo o Sudeste, Centro-oeste e o MAPITOBA terão um setembro e inicio de outubro com chuvas muito irregulares e até mesmo ausência delas em diversos momentos;

• No entanto, não deverá ser uma total ausência, pois alguns outros fatores, como Oscilação Madden Julian (MJO) e Oscilação Antártica (AAO) sinalizam a possibilidade de que venham ocorrer pancadas de chuvas entre a última semana de setembro e durante a 1ª quinzena de outubro. Porém, sempre na forma de pancadas irregulares.

Previsões meteorológicas Brasil – próximos 15 dias

• Pelos modelos de previsão de chuvas para os próximos 15 dias, há uma grande diferença entre os modelos. O modelo americano (GFS) sinaliza chuvas apenas para o Sul do BR nesses próximos 15 dias; Já o europeu (ECMWF) sinaliza que há grandes chances de chuvas já na virada do mês, entre os dias 27/09 e 03/10;

• No entanto, devido essa divergência nos modelos, o que se espera é que as chuvas até venham ocorrer sobre a faixa central do País, mas sempre na forma de pancadas irregulares. Em nenhum momento haverá chuvas generalizadas e em volumes suficientes para dar continuidade ao plantio da nova safra de soja e até mesmo para induzir o florescimento do café;

• Já no Sul, a tendência continuará sendo de muita chuva e dificuldades para dar sequencia ao plantio do arroz. Entretanto, para a cultura do milho, as condições se manterão favoráveis;

? Previsões Meteorológicas Brasil – 45 dias (ECMWF)

? Previsões Meteorológicas Brasil – 45 dias (CFSv2)

Conclusão das previsões 45 dias

• Como vem ocorrendo com as previsões de curto prazo (15 dias), as de médio prazo (45 dias) também tem algumas

divergências entre os modelos.

• No entanto, ambos os modelos sinalizam que ao longo do mês de outubro, as chuvas já estarão ganhando forças e regularidade sobre a região central e norte do BR e aos poucos no Sul, as chuvas vão deixando de ficar tão volumosas e regulares;

• Assim, muitos produtores já iniciarão o plantio da soja ao longo das 2 primeiras semanas de outubro. Pouquíssimos serão os produtores que terão plenas condições para iniciar o plantio dentro do mês de setembro; Até mesmo no PR, onde muitos produtores já iniciaram o plantio, o risco de perdas é enorme agora em setembro;

• No entanto, é fato que as chuvas só deverão, de fato, se regularizar no Centro-oeste e no Sudeste em meados de outubro, antes disso, só irão ocorrer pancadas de chuvas irregulares. E no MATOPIBA, a regularização do regime de chuvas só irá ocorrer no começo de novembro;

• Algo muito semelhante ao que aconteceu na primavera de 2017, onde as chuvas também atrasaram a sua regularização.

• Assim, cautela será a palavra chave para esse inicio de plantio.

Fonte: Rural Clima / Marco Antonio dos Santos.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *