Margem dos frigoríficos melhora com a queda da arroba

Compartilhar

A margem dos frigoríficos que fazem desossa, pela primeira vez em abril, rompeu a barreira dos 15,0%, depois que os preços da arroba caíram em São Paulo. Via aumento de preços da carne, não se vê melhora de resultado da indústria há algum tempo.

Ainda assim, a diferença entre receita e custo com matéria-prima voltou a ficar abaixo do resultado de um ano atrás. Não há mudança na conjuntura, no rumo de queda tomado pelo mercado de carne bovina. A situação se intensifica à medida que o ano avança e que os sintomas da recessão vão sendo mais sentidos.

Os preços dos cortes, aliás, caminham no sentido contrário ao da maioria dos produtos comercializados no país. A carne de traseiro caiu, em média, 12,9% em relação ao começo do ano. Estamos com inflação acumulada de 2,6% (IPCA).

Nem mesmo o frango, proteína que normalmente tem a preferência da população quando há necessidade de corte de despesas, tem se livrado no momento baixista. Em abril a carcaça comercializada pelas indústrias recuou 5,4%.

A recessão e suas consequências, entre elas a queda de consumo, tem sido uma das responsáveis pela queda nas projeções de inflação, que segundo o Boletim Focus do Banco Central, deve terminar 2016 abaixo dos 7,0%.

Fonte: Scot Consultoria.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: