Fixação Biológica do Nitrogênio resulta em economia

Compartilhar

Fixação Biológica do Nitrogênio resulta em uma economia de divisas de 12 bi de dólares para o país.

O VII Congresso Brasileiro de Soja (VII CBSoja) abordou no dia (25.06) os principais aspectos da fixação biológica do nitrogênio (FBN).

A programação contou com palestras de dois importantes nomes no cenário internacional, que retrataram a importância econômica da fixação de nitrogênio para seus respectivos países, o Dr. Alejandro Perticari, da Argentina e a Dra. Elena Beyhaut, do Uruguai. Para complementar o ciclo de palestras, o Congresso contou ainda com a participação da palestrante Dra. Mariângela Hungria, da Embrapa Soja, que apresentou os diversos aspectos do uso de inoculantes no Brasil.

O evento, realizado entre os dias 22 e 25 de junho, ocorreu no Centro Sul em Florianópolis, Santa Catarina. O Congresso foi promovido e realizado pela Embrapa Soja e é o principal evento no Cone Sul envolvendo todo o complexo-soja brasileiro e teve como objetivos a discussão com todos os participantes da cadeia produtiva dos problemas, as possíveis soluções e as tendências do agronegócio da Soja no Brasil e no mundo.

O consultor Solon Araújo, da Associação Nacional dos Produtores e Importadores de Inoculantes (ANPII) que esteve presente no congresso ressaltou alguns pontos da palestra. “Foi reforçado que a reinoculação, ou seja, a nova inoculação a cada cultivo resulta em aumentos médios de 8% no rendimento da soja. Por isso a necessidade de usar inoculante anualmente, em todos os plantios de soja”.

Outro assunto abordado foi a técnica de pré-inoculação das sementes. A pesquisadora Mariângela ressaltou que o procedimento está em plena evolução, mas que deve ser encarado com restrições, pois a mortalidade ainda é muito grande e o número de bactérias que chegam ao solo é muito baixo para uma boa nodulação. A pesquisadora recomenda que os agricultores enviem amostras das sementes para análise no Embrapa Soja, para ter certeza do que estão aplicando em sua lavoura.

E por fim, foi enfatizado que o nitrogênio mineral aplicado em soja se constitui em um desperdício financeiro, pois mesmo para produtividades acima de 5.000 kg/ha a aplicação deste fertilizante não resulta em aumento de produtividade, desde que haja uma boa inoculação. A pesquisadora ressaltou a importância econômica da FBN para o país, que resulta em uma economia anual de divisas de 12 bilhões de dólares.

Fonte: Assessoria de imprensa.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *