Aliança Brasil-Alemanha para o hidrogênio verde

Compartilhar

Aliança Brasil-Alemanha para o hidrogênio verde aposta no potencial brasileiro como fornecedor.

Governo alemão prevê investir 2 bilhões de euros no financiamento de projetos em países parceiros.

As Câmaras de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo e do Rio de Janeiro, por meio da Aliança Brasil-Alemanha para o Hidrogênio Verde, estão buscando oportunidades para ampliar o debate acerca do tema e intermediar a compra e venda desse elemento entre ambos os países. Com o intuito de colocar essas medidas em prática, as instituições realizarão reuniões com empresas interessadas, com o apoio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit) e do Ministério brasileiro de Minas e Energia (MME). O objetivo principal do encontro é apresentar o contexto do Hidrogênio Verde na Alemanha e mapear projetos de empresas brasileiras que possam ser incluídos em um pipeline que será apresentado no país europeu em face da publicação recente de sua política para o Hidrogênio Verde.  

“Publicada em junho de 2020, esta política contribuiu amplamente para que os mercados internacionais se organizassem e projetassem produções em grande escala do hidrogênio verde. Entre outras diretrizes, o governo alemão prevê investir 2 bilhões de euros no financiamento de projetos em países parceiros por meio dessa estratégia nacional. Como um dos principais parceiros comerciais da Alemanha e potencial produtor de hidrogênio verde, com capacidade para suprir a demanda do mercado interno e exportar essa matéria-prima, o Brasil deve aproveitar esta oportunidade de cooperação”, afirma Ricardo Castanho, Diretor de Internacionalização de Empresas e Desenvolvimento de Negócios da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo. Adicionalmente, a Hydrogen Intermediary Company (HINT.CO) foi criada para intermediar negócios entre vendedores e compradores do hidrogênio verde e, atualmente, está em fase final de aprovação pelos órgãos competentes na Alemanha.

Para que o Brasil seja contemplado no programa alemão – que prevê a compra da produção local de hidrogênio verde por, pelo menos, 10 anos – é necessário mapear e apresentar projetos relevantes de empresas brasileiras que reforcem a importância do País neste segmento. Com um histórico marcado por parcerias comerciais significativas, Brasil e Alemanha têm potencial para criar um espaço de cooperação muito positivo neste mercado para ambos os lados.    

As companhias que tiverem interesse em participar e que tenham projetos relevantes que possam ser incluídos para frisar a importância do Brasil neste segmento, podem agendar uma reunião com a Aliança Brasil-Alemanha para o Hidrogênio Verde até o dia 15 de fevereiro de 2021 por meio do h2verde@ahkbrasil.com ou pelo telefone (11) 5187-5213.

Sobre a Aliança Brasil-Alemanha para o Hidrogênio Verde:

Formada pelas Câmaras Brasil-Alemanha de São Paulo e do Rio de Janeiro com o apoio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit), a iniciativa foi criada com o objetivo de reunir empresas e a comunidade científica para discussões acerca do tema; fomentar o networking e a identificação de oportunidades, assim como estabelecer novas cooperações. Com a experiência das duas entidades em assuntos relacionados à energia e à transição energética e sua ampla rede de contatos, a Aliança acredita que contribuirá amplamente para o desenvolvimento do potencial brasileiro para o hidrogênio verde.

FONTE: DATAGRO.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: