Goiás começa a testar tecnologia 5G no campo

Compartilhar

Município de Rio Verde será o primeiro a utilizar, de forma experimental, o novo sistema de rede móvel na zona rural.

O superintendente do Senar Goiás, Dirceu Borges, e o diretor de TI da entidade, Pedro Camilo, acompanharam, nesta semana, o lançamento da rede móvel 5G para o agronegócio no município goiano de Rio Verde. A disponibilização ainda é de forma experimental.  Duas torres já foram instaladas  no município, uma na Fazenda Nicolly e outra no Centro de Excelência em Agricultura Exponencial.

A cidade será a primeira do país a testar a tecnologia na zona rural. Trata-se de uma iniciativa da Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), o IF Goiano, a Huawei, a Goiás Telecom, o Centro de Excelência em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás (Ceia/UFG) e a Prefeitura de Rio Verde.

Nesse primeiro momento o sinal 5G estará disponível apenas para a área rural, não se encontrando disponível para uso da população, uma vez que a autorização da operadora  Claro é apenas para o uso experimental. Mas, a tecnologia estará à disposição de quem frequentar o Centro de Excelência.

“A rede 5G é uma tecnologia que os produtores rurais estão aguardando há bastante  tempo e que visa dar o próximo passo para a evolução da agricultura, o que nós chamamos Agro 4.0. Isso vai possibilitar que máquinas, drones e outros equipamentos consigam captar qualquer tipo de informação e assim qualquer tipo de dado pode ser compartilhado no que a gente chama de nuvem.  Essa rede nuvem é onde se  consolida  todos os dados que são capturados por essa tecnologia. Por isso  é importante que a 5G esteja presente nessa realidade e se consiga  levar essas informações em tempo hábil. Com essa velocidade alta a gente espera entregar vários serviços para o produtor rural. Após os dados serem consolidados em nuvem, o próximo passo é trabalhar com a inteligência artificial. Com ela muitos trabalhos que são feitos de forma repetitiva passam a ser feitos pela máquina”, explica Pedro Camilo, diretor de TI do Senar Goiás

O presidente do Sindicato Rural de Rio Verde está otimista com a experiência voltada para uma demanda importante dos produtores rurais que é o acesso a uma internet de qualidade. “Ter um sinal de qualidade, esse é o grande desafio do produtor rural para se trabalhar com as altas tecnologias que constantemente chegam ao campo, uma vez que são oferecidos sinais de internet que nunca atendem a zona rural. Nossa expectativa com a chegada da Tecnologia 5G é muito grande e esperamos que ela se apresente da maneira que está sendo oferecida”, destaca, Luciano Jayme Guimarães.

De acordo com dados do Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura, atualmente apenas 18,5% da população rural no Brasil possui conexão com a rede 4G. “É muito bom vermos o avanço da internet rumo ao campo. E é importante que ela chegue de fato até as propriedades rurais. Infelizmente ainda é muito comum a gente ver quem mora na zona rural subindo em porteiras, em árvores, indo em lugares mais altos da propriedade pra conseguir sinal de telefone celular. De internet então ainda é mais complicado. Essa dificuldade de sinal atrapalha os negócios dos produtores que poderiam ser simplificados e também a educação dos filhos deles que hoje também dependem aulas virtuais. Então fico otimista que essa iniciativa sirva de estímulo para que cada vez mais operadores estejam atentas às necessidades da ampliação de tecnologia telefônica e de internet no campo” pontua o presidente do Sistema Faeg/Senar e deputado Federal José Mário Schreiner.

FONTE: DATAGRO.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: