Colheita de soja no Mato Grosso do Sul em ritmo lento

Compartilhar

Colheita da soja em Mato Grosso do Sul começa em ritmo lento devido às chuvas.

Produção tem potencial para chegar a 11,5 milhões de toneladas nesta safra 2020/2021.

A colheita da soja começou oficialmente em Mato Grosso do Sul e a previsão é de colher 11,591 milhões de toneladas na safra 2020/21. Os dados são do projeto SIGA/MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), coordenado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) junto com a Aprosoja/MS (Associação de Produtores de Soja de MS).

As condições climáticas, como a estiagem na época de plantio e as chuvas de janeiro atrasaram a colheita, que está 3% inferior em relação à safra passada. A região sul do Estado é a mais avançada, com 14,5 mil hectares colhidos e destaque para o município de Dourados, onde o percentual evolui mais rápido.

Titular da Semagro, o secretário Jaime Verruck destaca que é grande a demanda pela soja, tanto no mercado interno quanto externo. Essa busca pelo produto tem refletido no preço, bem acima dos patamares anteriores e na comercialização da safra antecipadamente, que já passa dos 60%, com preço médio de R$ 157,38.

“Além das exportações também demos bastante demanda interna para a soja, com novas industrias atuando em pleno funcionamento. Vamos continuar crescendo na produção agrícola, com avanço nas políticas públicas e crescimento substancial de produtividade e área, alinhado com a política industrial que tem trazido novas empresas que processam a soja internamente e a questão logística para exportação, como tem feito com os portos em Porto Murtinho”, destaca.

A área plantada com soja em Mato Grosso do Sul teve aumento estimado em 7,55%, passando de 3,389 milhões para 3,645 milhões de hectares. Com a expectativa de se colher 53 sacas por hectare, o volume esperado é de 11,591 milhões de toneladas, representando aumento de 2,35% em relação à safra 2019/2020 que foi de 11,591 milhões de toneladas.

FONTE: DATAGRO.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: