Vagões misturadores de ração

Compartilhar

Importância e preços.

O que são vagões misturadores?

Vagões misturadores são equipamentos que têm, por finalidade, a pesagem, mistura e distribuição da ração total proveniente de uma dieta formulada (Kasburg, 2010).

Tipos:

Horizontais – móveis ou estacionários, recomendados para o uso de fibras curtas, silagem de capim e permitem o uso de fenos. Tempo de mistura relativamente rápido (em média, cinco minutos).

Verticais – móveis ou estacionários, recomendados para o uso de feno e silagens de fibra longa, e permitem o uso de diferentes volumosos. Exigem um tempo médio de mistura (maior que o modelo horizontal).

Tombadores – móveis ou estacionários, recomendados para dietas de alto grão e fibras curtas, têm rápido tempo de mistura (em média três minutos). São mais eficientes.

Qual a função dos vagões misturadores?

Homogeneizar e distribuir adequadamente a ração, garantindo que o formulado chegue integralmente ao cocho.

Homogeneização da dieta

A dieta homogeneizada auxilia no desempenho e na saúde dos bovinos e garante que o animal tire o máximo proveito dos alimentos.

Esse processo evita oscilação do pH ruminal, pois cada porção da dieta consumida terá proporções iguais de ingredientes. Isso melhora a eficiência de absorção pelos microrganismos ruminais, principalmente relacionado à síntese de proteína microbiana.

Benefícios da utilização de vagões misturadores

– Controle do consumo de MS;

Garante a ingestão adequada de concentrado e forragem, sem seleção de ingredientes (homogeneização).

– Controle da dieta fornecida;

Garante que o que foi formulado seja fornecido.

– Precisão da quantidade de ingredientes fornecidos aos animais;

– Controle de sobras no cocho;

– Otimização da mão de obra.

Marcas, modelos e preços

Tabela 1.  Marcas, modelos e preços de vagões misturadores

Pagamentos

Na maioria das vezes, os pagamentos feitos à vista contam com 5% de desconto. Algumas marcas e revendedoras de implementos agropecuários aceitam o pagamento a prazo (entrada + parcelas) em cheques, boletos ou cartão de crédito e financiamentos: de fábrica, do banco de preferência ou BNDES.

BNDES Finame

Quem se enquadra nesse tipo de financiamento?

· Empresas sediadas no país;

· Fundações, associações e cooperativas;

· Entidades e órgãos públicos.

O que pode ser financiado?

Máquinas, equipamentos, bens de informática e automação e bens industrializados que sejam novos, de fabricação nacional e credenciados pelo BNDES. Também pode ser financiado capital de giro associado, para micro, pequenas e médias empresas (até 30% do valor financiado).

Como solicito?

É necessário a presença em uma instituição financeira credenciada, com a especificação técnica do bem a ser financiado.

A instituição informará os documentos necessários, analisará a possibilidade de aprovação do crédito e negociará as garantias. Após aprovada, a operação será encaminhada para homologação e posterior liberação dos recursos pelo BNDES.

Considerações finais

No fornecimento da dieta, é recomendado que seja de dieta total para permitir estabilidade do ambiente ruminal e melhor aproveitamento da dieta.

Diversos tipos e modelos de vagões misturadores estão disponíveis no mercado com funcionamento adequado, desde que as recomendações de carregamento sejam obedecidas e a manutenção seja feita regularmente.

No fornecimento de rações uniformes haverá melhor eficiência alimentar, refletindo em um melhor desempenho animal.

A falta de homogeneidade da dieta causa prejuízos devido ao baixo desempenho dos animais e, em alguns casos, pode levar os bovinos a transtornos metabólicos (timpanismo, laminite, intoxicação e acidose).

Bibliografia consultada

Junior, J. R. C. 2018. Ordem de carregamento dos ingredientes e tempo de mistura sobre a homogeneidade da dieta de bovinos de corte confinados.

Kasburg, J. H. 2010. Conheça tudo sobre vagões misturadores.

Lopes, M. & Sampaio, A.A.M. 1999. Manual do confinador de bovinos de corte. Jaboticabal: FUNEP.

O banco nacioal do desenvolvimento – BNDES

Fonte: Scot Consultoria. Por: Guilherme Ibelli.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: