Ferrugem asiática: Tecnologia é aliada na prevenção

Compartilhar

Em meio a colheita de soja, os casos de ferrugem asiática continuam se espalhando pelas lavouras de Mato Grosso. Segundo entidades ligadas a produtores da região, a incidência da praga nas lavouras nesta temporada 2013/14 são maiores do que a safra anterior.

 

Como solução para combater a ferrugem, produtores têm apostado em novas tecnologias, mercado este que se consolida no setor de agronegócios como alternativa para enfrentar os desafios e as incertezas do ramo, como variação climática e controle de pragas e insetos, além de aumento da produtividade das lavouras. Foi o caso de Frederico Ribeiro, presidente do Grupo Mutum, que cultiva 20 mil hectares de soja em Nova Mutum.

 

Ele resolveu experimentar nesta safra um sistema de monitoramento climático que permite que o produtor rural monitore o clima das lavouras, o que auxilia na prevenção de infecções e no controle preventivo de pragas.

 

“Em pouco mais de dois meses, foi possível registrar resultados positivos no controle preventivo da ferrugem da soja, além ter o benefício ambiental, com menos uso de agroquímicos”, afirma Frederico, acrescentando ainda que houve uma redução de 50% das aplicações de fungicidas, com redução de custo de 52,74% em relação ao sistema convencional.

 

A plataforma hemisphere, criada pela empresa Olearys, consegue monitorar o clima e transforma os dados coletados em conhecimento, ou seja, informações que fazem a diferença para o agricultor, trazendo benefícios como redução do uso do agrotóxico, economia de água e energia e aumento da produtividade.

 

“Também permite outros benefícios como a redução do uso do agrotóxico, economia de água e energia, gerando um aumento da produtividade e uma redução de 53% com fungicidas”, explica o gerente de Operações da Olearys, Tiarê Balbi.

 

Fonte: Diário de Cuiabá.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *