Pragas e doenças da mandioca

Compartilhar

Como em qualquer cultura ou plantação, o melhor para se evitar pragas e doenças da mandioca é prevenir. Existem alguns cuidados que podem e devem ser tomados para garantir a saúde da lavoura ou para reduzir as chances de que se instale alguma doença ou praga. Entre estes cuidados, podemos destacar:

– deve-se utilizar somente mudas sadias, de preferência que tenham sido obtidas pelo próprio agricultor, ou que tenham sido compradas de fornecedores idôneos;

– utilizar variedades resistentes;

– empregar defensivos de forma seletiva.

 

Entre as principais pragas, temos:

Manduruvá: uma lagarta grande, vermelha, preta, verde ou amarela que causa grandes prejuízos, podendo liquidar com uma plantação em poucos dias. Os defensivos só devem ser usados em último caso e assim mesmo logo que se inicie o ataque, tal a rapidez com que “trabalham” e crescem essas lagartas;

Lagartas cortadoras: podem atacar as folhas, as ramas e as raízes. Só devemos utilizar inseticidas quando o ataque for muito grande;

Larva dos brotos: ataca e fura os brotos, atrasando o crescimento da planta, sendo de difícil controle e, nesse caso, devemos utilizar inseticidas sistêmicos;

Brocas do caule: são pequenas lagartas brancas ou cor de canela que comem os talos e os ramos das plantas. Sua presença é notada devido ao esterco e às serragens que saem dos túneis que elas escavam dentro dos ramos. As plantas atacadas devem ser arrancadas.

 

Entre as doenças que mais atacam a cultura da mandioca, temos:

Bacteriose: faz os ramos e algumas partes das plantas murcharem, o que é notado principalmente em épocas de chuvas. Para evitar essa doença, usar somente manivas sadias;

Podridão negra: aparece somente no primeiro plantio após derrubadas, apodrecendo as raízes em épocas de chuvas. O melhor é usar as derrubadas para outras culturas;

Cercóspora: é uma doença que não causa problemas na lavoura, sendo os seus sintomas, as manchas claras com o meio escuro e as bordas verde-amareladas;

Super-brotamento: é uma doença das manivas que, quando plantadas, apresentam vários brotos e aparência raquítica. As plantas doentes devem ser eliminadas. Para haver uma prevenção contra esta doença, devem ser plantadas somente manivas fortes e sadias.

 

Fonte: Rural News.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *