Hora de recomeço na lavoura

Compartilhar

Após colheita da soja ou do milho, surge a necessidade de pensar na safra de inverno. Na região, trigo, cevada e canola são os principais itens adotados pelos produtores no plantio dessa época do ano Com o encerramento da colheita da soja se aproximando, as propriedades passam a conviver apenas com a palha deixada pela antiga cultura.

 

 Além de um aliado para o solo, isso simboliza para o produtor a necessidade de recomeçar o ciclo na lavoura, com o plantio de uma nova safra, desta vez, de inverno. Na região, predomina o trigo como cultura da estação. “As principais culturas de inverno na região são trigo, cevada e canola”.

 

 A época de plantio de trigo e cevada começa em torno do dia 20 de maio. A canola já é possível de plantar iniciar a semeadura. Entre as culturas de inverno, predomina o trigo na nossa região. A cevada vem como uma boa opção também. “Ela surge em segundo plano em comparação ao trigo”, afirmou o engenheiro agrônomo da Cotrijal, Volmir Breancini. Expectativa para a safra Apesar de dizer que o mercado é variável, o engenheiro agrônomo destaca que deverá haver uma regularidade no preço do trigo para 2013.

 

“Com base no mercado internacional, a tendência é o trigo se manter nos preços atuais. Os preços deverão ficar firmes até o final da colheita. Hoje, o preço do trigo Ph 78 é R$ 30 e o mercado internacional indica que o preço vai se manter assim, com pequenas oscilações acima e abaixo disso”, destacou. O otimismo também se revela com relação ao clima, o fiel da balança quando o assunto é agricultura. “Para a safra ser positiva, tudo depende do clima”.

 

E ele é muito variável, a gente não sabe se o inverno vai ser mais chuvoso ou não, por exemplo. Para o trigo é ideal que não ocorram chuvas acima da média, porque aí pode ocorrer a incidência de doenças fúngicas, e isso pode prejudicar. No ano passado, por exemplo, estava correndo tudo bem, mas com uma geada toda a produção foi perdida. Mesmo assim, a gente sempre tem otimismo.

 

 “E eu acho que o produtor está bem animado para o plantio das culturas de inverno”, apontou Breancini. A canola deverá aquecer o comércio lavoureiro nesta safra de inverno. “O preço da canola segue mais ou menos a linha de mercado da soja, ele é balizado pelo preço da soja. No ano passado, por exemplo, quem plantou canola ganhou muito dinheiro porque a soja estava em alta.

 

 Possivelmente, nesse ano, volte a render satisfatoriamente. “E a cevada vai seguir um pouco a linha do trigo”, revelou o agrônomo. Dicas aos produtores O procedimento para a lavoura no inverno depende da cultura plantada no verão. Para quem plantou milho, após a colheita, o recomendável seria fazer o plantio de uma cultua antecessora ao trigo, cevada ou canola, que são as culturas principais. “Nesse caso, planta-se um nabo forrageiro ou algo nessa linha”, afirmou Breancini. Para quem plantou soja, não há mais tempo de uma cultura antecessora.

 

 “O que teria que ser feito é um manejo pré-plantio para eliminar as invasoras. Ou seja, não teria como colocar uma cultura nesse intervalo para fazer palhada para o solo, tendo que aproveitar a palhada da soja, fazendo um plantio no limpo”, aconselhou Breancini, afirmando que não há uma regra fixa para todas as lavouras. Outra recomendação é que os produtores procurem orientação de um engenheiro agrônomo.

 

Fonte: Diário da Manhã – Passo Fundo


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *