Fiscalização do vazio sanitário

Compartilhar

Equipes do Indea já estão trabalhando na fiscalização do período do vazio sanitário.

 

As equipes de fiscalização do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) já estão atuando para garantir que os produtores respeitem o período do vazio sanitário da soja em Mato Grosso. Ao todo são 50 grupos que, durante os 90 dias, devem garantir a ausência da planta no estado. O vazio sanitário começou no último sábado (15) e segue até o dia 15 de setembro.

 

O trabalho das equipes consiste em multar produtores que descumprirem  a Instrução Normativa Nº057/2.2012 do órgão, sob determinação da Lei Estadual Nº 8.589, de 27 de novembro de 2006, que prevê um intervalo de três meses sem a presença da soja. Os profissionais percorrerão todos os municípios mato-grossenses para averiguar como os agricultores estão lidando com a situação. 

 

O coordenador de Defesa Sanitária e Vegetal do Indea, Ronaldo Assis esclarece a metodologia de funcionamento das inspeções. “Não existe um perímetro de risco, entretanto, as áreas mais úmidas ficam com a maior atenção. Isso acontece devido a ameaça de aparecimento da ferrugem asiática ser maior nestas regiões.

 

O processo de fiscalização funciona por amostragem. Ao todo, 20% de todas as propriedades do estado devem ser averiguadas. Além disto, também são vistoriadas todas as áreas sob denúncia. As queixas podem ser direcionadas às sedes do Indea, inclusive por telefone”, disse.


 

Assis explica que ao ser encontrado a planta de soja na propriedade o dono da área recebe uma multa. “Quando não é realizada a eliminação completa da espécie nestes três meses o proprietário pagará uma multa de 30 Unidades Padrão Fiscal (UPF’s), mais duas por hectare em que não houver a remoção da planta. Porém, como isto é de total interesse do agricultor, é um dever de casa ter este cuidado”. Cada UPF equivale a R$ 75,00. Um dos cuidados que o agricultor pode tomar para evitar o aparecimento da ferrugem asiática é ato de intercalar as culturas, conclui Ronaldo Assis.

 

O agricultor Marcos Da Rosa, de Canarana, a 838 quilômetros da capital do estado, já teve problemas com a doença. “De 2004 para 2005 eu tive uma perda muito grande devido a ferrugem asiática. O rendimento com a soja nesta época foi de 10 sacas por hectare. Eu sempre tomei os cuidado para evitar a presença deste mal na minha propriedade, evitando a soja guaxa”.

 

Fonte: Agrodebate


Compartilhar

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp ( clique aqui ), ( clique aqui ) ou Telegram Portal Agron ( clique aqui ), Telegram Pecuária ( clique aqui ) , Telegram Agricultura ( clique aqui ) e no nosso Twitter ( clique aqui ) . 🚜 🌱 Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias ( clique aqui )

  • Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!
  • Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.
  • Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!
  • If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!
  • We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.
  • We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
error: Conteúdo protegido!
%d