Cotações do boi gordo devem se manter elevadas

Compartilhar

Boi Gordo: Mesmo com aumento na entrega de animais em maio, cotações devem se manter em patamares elevados.

Não é novidade que o mercado do boi gordo tem encontrado sustentação na baixa disponibilidade de animais terminas. Embora o consumo interno tenha reduzido significativamente nos últimos meses, a oferta, ainda melhor, manter os preços firmes em grande parte das regiões produtores.

Para abril os analistas não prevêem alteração neste cenário, mas a grande preocupação é com o final da safra, em maio, onde uma desova maior de animais possivelmente trará pressão sobre as cotações. Segundo levantamento da Scot Consultoria nos últimos 16 anos houve uma pressão de baixa no período de abril a maio, na ordem de 1,4% no preço do boi gordo em São Paulo.

No entanto, para o analista da Scot, Hyberville Neto, “embora a desvalorização seja clássica ela não ocorre com tanta força, reduzindo no pior cenário 3% de queda”, explica. Assim, são esperadas pressões sobre a arroba, mas que devido à oferta restrita, não terão força para promover quedas significativas.

Outro fator fundamental para esse período é a maior participação das fêmeas no abate. Perdendo apenas para março, maio aparece como o segundo mês onde as fêmeas representam 37% dos abates. Neto explica que neste ano a presença desses animais poderá ser menor, por conta do alto custo com a reposição “deveremos ter mais um ano de retenção de fêmeas”, completa.

Tipicamente a desova de animais ocorre neste período devido à degradação das pastagens com a entrada de temporada de estiagem. Porém, Netto afirma que as previsões dos institutos meteorológicos indicam que “a seca virá de maneira mais amena para os estados do Centro-Sul, o que permitiria uma distribuição um pouco melhor das vendas”, alerta o analista.

Os frigoríficos também acreditam em uma queda de 3% a 4% entre abril e o inicio de junho. “Então, sabemos que terá uma pressão em maio, mas é o tamanho dela que estamos colocando em questão”, conclui Netto.

Fonte: Notícias Agrícolas.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: