Soja: Incertezas e custos aumentam dependência

Compartilhar

A colheita da soja se aproxima dos 90% da área semeada em Mato Grosso, foram 9,20 milhões de hectares cobertos na safra 2015/16, o milho e o algodão safrinha se desenvolvem, mas o produtor já está no mercado à procura de oportunidades de negócios, seja para travar custos de produção para o novo ciclo como também garantir preços à saca no mercado a termo, para entrega futura. E com as incertezas política e econômicas que o Brasil vivencia, para qualquer lado que o agricultor olhe, o dólar segue sendo a tábua de salvação para melhorar a receita, a nova safra vai começar exatamente como a última vai terminar, mais dependente do câmbio do que nunca. Mas nesse primeiro momento, o valor ofertado à saca está baixo da variação do custo de produção no Estado.

Como explicam os analistas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), “o ponto crucial da próxima safra está em torno das receitas. Desde o ano passado, os preços internos se tornaram cada vez mais “dependentes” de escaladas do dólar. Atualmente, os preços da safra 2016/17 ofertados pelas trades, com média próxima a R$ 63/sc, são 10,5% acima dos patamares registrados no preço futuro do ano passado, entretanto, abaixo do aumento no custo aguardado na safra 2016/17. Diante disso, os produtores devem ficar bem atentos às oportunidades geradas pelas oscilações do dólar para travar não só seus custos como as vendas da nova safra”.

Os analistas frisam que assim como foi a safra 2015/16, a temporada 2016/17 será de grandes desafios. “O produtor está colhendo, mas já deu início à a compra dos insumos da próxima safra. Em um ano de grandes instabilidades política e econômica no Brasil, a safra 2016/17 se depara com grandes desafios e o primeiro deles já se mostrou, a alta do custo de produção”. Por mais uma safra seguida, a terceira de grandes elevações na sojicultura, o produtor sabe que o dólar elevado em comparação ao mesmo período do ano passado, vai impactar nesse primeiro momento, antes mesmo de começar a vender sua produção, sobre o custo de implantação da lavoura.

Conforme divulgou ontem, por meio do Boletim Semanal da Soja, o custo total de produção deve crescer 12%, atingindo a média de R$ 3.306 o hectare plantado. Da safra 2014/15 para a 2015/16, o custo rompeu a barreira dos R$ 3 mil por hectare e na próxima temporada segue em ascensão.

ANÁLISE – O preço da soja em grão vem registrando no primeiro trimestre de 2016 patamares inéditos em Mato Grosso, refletindo o dólar elevado e uma realidade que diverge do mercado internacional. Para se ter uma ideia, a média do preço de compra no acumulado dos três primeiros meses deste ano (janeiro, fevereiro e março), 62,30/sc na média, está 34% mais valorizada do que a média dos últimos cinco anos, que foi de R$ 46,40/sc. “Apesar disso, a pedida do produtor (preço de venda) não vem recuando, pelo contrário, a média do 1º trimestre de 2016 é a maior já registrada da série histórica do Imea (desde 2010). Uma das justificativas está em torno dos altos custos produtivos da safra atual e nova alta nos custos da próxima safra”, destaca trecho do Boletim da Soja do Imea.

Em março, o preço de negociação (compra) da soja disponível, recuou no Estado refletindo no esfriamento das negociações e elevações na pedida do produtor. Daqui para frente, os preços de venda tendem a recuar à medida em que o produtor precisar realizar negócios para cobrir seus custos, sobretudo, da próxima safra.

Fonte: Diário de Cuiabá. Autor: Marianna Peres.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: