A Páscoa dos cães e gatos: alimentos perigosos para PET

Compartilhar

A Páscoa dos cães e gatos: 5 alimentos que devem ser evitados

Veja também o vídeo abaixo com dicas sobre a alimentação de animais de estimação

O grande astro da Páscoa, o chocolate, deve ficar de fora da alimentação dos pets. O alimento pode afetar o sistema nervoso, levando à morte.

Os ovos de Páscoa, tradicionais no feriado do próximo domingo, podem ser compartilhados com qualquer membro da família, menos um: o animal de estimação. Cuidados constantes dos donos de pets fizeram com que a expectativa de vida de cães e gatos, assim como a dos humanos, aumentasse. Para manter o zelo, nesta Páscoa a atenção especial vai para o chocolate. De acordo com a veterinária Patrícia Kashivagui, gerente da Fórmula Natural, o alimento pode afetar o sistema nervoso dos animais, levando cães e gatos a óbito. Mas eles não precisam ficar sem opção: como substituto desse “alimento proibido”, uma boa saída podem ser os chocolates específicos para cães, com algumas opções no mercado.

Além desse vilão para o organismo, existem outros alimentos que exigem cuidado dobrado e não podem ser inseridos na dieta dos pets. A ajuda da veterinária Kashivagui montou uma lista com 5 alimentos perigosos para seu animal e os substitutos que você pode escolher:

5 alimentos que são perigosos para seu animal

Chocolate

Um dos principais vilões para animais de estimação, o chocolate pode levar cães e gatos a óbito, conforme explica a veterinária Patrícia Kashivagui. A responsável é uma substância chamada teobromina, encontrada no cacau, que afeta diretamente o sistema nervoso do animal. “Essa substância é muito tóxica para cães e gatos. Dependendo da quantidade dada a eles, do tamanho do pet e sua sensibilidade, eles podem não resistir e morrer por diversos fatores como, por exemplo, taquicardia”, alerta a veterinária. A teobromina ainda pode provocar crises alérgicas, aumento da pressão arterial, arritmia, tremores e convulsões. Como substitutos nessa Páscoa, os chocolates para cães, vendidos em pet shops, são ideais. “Esses ovos de chocolate específicos para cães não possuem cacau, nem açúcar, sendo ideais para servir como um agrado ao animal”, disse Kashivagui.

Doces em geral

A presença do açúcar nos doces também os transforma em alimentos que se deve evitar na dieta de cães e gatos. Além de serem extremamente calóricos, eles podem causar obesidade, diabetes e a perda de dentes pela ocorrência de cáries e outros problemas dentários. “Para esse caso, o ideal é substituir o doce por petiscos especiais para animais. Eles contêm os ingredientes seguros para o consumo de cães e gatos. Mesmo assim, é importante frisar que a quantidade deve ser limitada de acordo com as instruções no ‘modo de uso’ do produto. Se esses petiscos forem administrados em quantidades excessivas também farão mal ao pet”, afirma a veterinária Patrícia Kashivagui.

Cebola ou alho

É comum que os donos de animais, uma vez ou outra, alimentem os pets com a comida feita para consumo próprio – mas isso pode prejudicar o animal. De acordo com a veterinária Patrícia Kashivagui, a cebola e o alho, comuns na alimentação brasileira, podem matar cães e gatos. “Diferentemente do chocolate, a cebola e o alho não dependem de quantidade para levar a óbito, mas somente do tamanho e sensibilidade do animal. São alimentos bastante perigosos, pois destroem os glóbulos vermelhos do sangue dos pets”, explica Patrícia. O responsável por isso é uma substância chamada dissulfeto de n-propil, que altera a hemoglobina no organismo e, caso a disfunção não seja tratada rapidamente, os animais podem morrer. De acordo com Kashivagui, o ideal é manter a alimentação somente com a ração, evitando fornecer comida. “É claro, se o animal tem uma dieta prescrita por um veterinário, que inclua frango ou arroz, isso não o fará mal. Esses alimentos serão indicados sem a utilização de qualquer tempero e deverão ser feitos especialmente para o consumo do animal”, explicou a especialista.

Uva ou uva passa

Segundo a especialista Patrícia Kashivagui, muitos casos de óbito por falência renal foram vistos em cães e gatos que ingeriram uvas ou uvas-passas. De acordo com a especialista, mesmo que ainda não exista comprovação da conexão entre esses alimentos e os malefícios causados, as uvas e uvas-passas devem ser evitadas na dieta animal.

Leite e derivados

Por fim, outro alimento que é comumente administrado a cães e gatos, principalmente quando filhotes, é o leite. De acordo com a veterinária Patrícia Kashivagui, os animais não produzem a enzima chamada lactase, que quebra a lactose; por isso, são intolerantes ao leite e qualquer derivado. “Não é um alimento que mate o animal, mas faz com que ele tenha diarreia, vômitos e dores abdominais”, explicou Kashivagui.

Fonte imagem: iStockphoto/Getty Images

Fonte: veja online. Por: Marina Rappa

 


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *