Alternativas para diminuir prejuízos com a soja

Compartilhar

Aprosoja busca alternativas para diminuir prejuízos causados pelas chuvas.

Defesa Civil deve decretar estado de emergência ou calamidade em municípios produtores.

Os possíveis prejuízos na produção de soja por causa das fortes chuvas das últimas semanas podem ser menores já que a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) tem buscado alternativas junto ao Governo do Estado. Na manhã de sexta-feira (05.03), o presidente da entidade, Fernando Cadore, se reuniu com secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil, Cel BM Cesar Viana de Brun, para tratar sobre possíveis decreto de situações de emergência ou calamidade em municípios produtores.

Durante reunião online, Cadore esclareceu que uma das preocupações dos produtores rurais é quanto ao grande volume de chuvas que tem prejudicado a colheita da soja e consequentemente o plantio do milho. “Nós precisamos relatar isso ao estado, porque é uma preocupação nossa enquanto produtor, já que essas perdas podem chegar até 50% da safra para alguns agricultores. É realmente preocupante e precisamos de um apoio nessa situação”, pontuou.

Cerca de 51 municípios das regiões norte e noroeste de Mato Grosso tem sentido a intensidade das precipitações. Uma das alternativas do secretário adjunto foi a decretação de situação de emergência regional. “Reconhecemos a seriedade do caso e vamos levar essa demanda ao governador e ver as possíveis alternativas, enviar equipes de defesa civil para avaliação e atender as demandas dos produtores. Podemos decretar uma situação de emergência regional, que dará mais celeridade no processo”, pontuou.

Também participaram da reunião a gerente de defesa agrícola, engenheira agrônoma Dra Jerusa Rech, o consultor de política agrícola da Aprosoja, Thiago Rocha e o analista técnico Diogo Gonçalves.

Chuvas – na segunda semana do mês de março a previsão do AproClima é de mais chuvas para Mato Grosso. A partir de segunda-feira (08.03) as precipitações vão predominar nas regiões norte, leste e sul, onde o volume de água pode chegar a 50 milímetros.

Fonte: Aprosoja – Ana Sampaio.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *