Primeira aplicação de fungicidas em soja

Compartilhar

A importância da primeira aplicação de fungicidas em soja.

O manejo de doenças da soja vem se tornando cada vez mais difícil em virtude da capacidade dos patógenos em se desenvolver de forma rápida, e também por alguns apresentarem certa resistência ou tolerância a produtos utilizados no manejo fitossanitário da soja. Doenças como a ferrugem-asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi), além de provocar severas injurias na planta, podem proporcionar drástica redução da produtividade da cultura, e em casos mais severos, até mesmo inviabilizar o cultivo. Segundo Godoy et al. (2020), os danos ocasionados pela ferrugem-asiática podem variar de 10 a 90% dependendo da intensidade e severidade da doença.

Além das boas práticas agronômicas, visando um manejo eficiente da ferrugem-asiática, o Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas – FRAC, recomenda que todo programa de controle da ferrugem deve ser iniciado de forma preventiva à ocorrência da doença.

O mesmo pode ser aplicado para o manejo da resistência e controle de outras doenças da soja, visando reduzir a interferência dessas na produtividade e qualidade da soja cultivada.

Em vídeo, o Professor Marcelo Madalosso chama atenção para a aplicação preventiva de fungicidas. Segundo Marcelo, “o fungicida precisa entrar preventivamente e ter uma ação de proteção de área verde”. Madalosso explica que promover boa proteção, ou seja, fazer com que o produto atinja as folhas do terso inferior (baixeiro), é essencial para reduzir a pressão de inoculo sobre a planta e consequentemente promover maior sanidade para as folhas do terço médio e superior da planta.

Sendo assim, a primeira aplicação exerce efeito fundamental no manejo de doenças da soja, portanto, deve ser realizada preferencialmente antes do fechamento das entrelinhas de cultivo, visando alcançar as folhas baixeira e promover efeito protetor, reduzindo a pressão de inoculo nas folhas superiores. Para isso, deve-se utilizar produtos registrados para a cultura, sendo o uso de fungicidas protetores e multissítios uma alternativa interessante para a primeira aplicação.

Fonte: Equipe Mais Soja.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *