Imunização contra febre aftosa no MT

Compartilhar

Febre aftosa Mato Grosso imunizou 99,4% do rebanho. Estado quer manter seus rebanhos livres da febre aftosa pelo 18º ano consecutivo.

 

Na última etapa de vacinação contra febre aftosa de 2013, Mato Grosso imunizou 99,4% do rebanho. Os produtores que não vacinaram o rebanho terão de pagar uma multa por cabeça de aproximadamente R$ 230, além de ter de realizar a vacinação com a presença de técnicos do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT). A campanha, promovida no mês de novembro, teve o resultado divulgado na quinta-feira, 23.

 

Os técnicos do instituto estão visitando todas as propriedades inadimplentes do Estado, com a exigência de que realizem a vacinação no prazo de 72h, segundo a diretora técnica do Indea e médica veterinária, Daniella Bueno. “A vacinação é obrigatória e a baixa inadimplência é resultado do trabalho de divulgação, educação sanitária e fiscalização do Indea”, avaliou.

 

Em 1996 ocorreu o último foco da doença em Mato Grosso, que atualmente é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação. Desde 2007 as campanhas têm alcançado taxas superiores a 99%.

 

“Condição constantemente comprovada pelas ações de vigilância e inquéritos epidemiológicos realizados pelo Indea/MT e Mapa (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento). É fundamental o apoio dos produtores rurais que confiam nessa iniciativa para manter seus rebanhos livres da febre aftosa há 18 anos”, frisou a diretora.

 

O Indea/MT e o Mapa são os órgãos oficiais responsáveis pela regulamentação, divulgação, educação sanitária, controle e fiscalização da vacinação. Porém, cabe ao produtor adquirir e aplicar a vacina. Conforme Daniella Bueno, o combate à doença conta ainda com a parceria de entidades ligadas ao setor pecuário, como a Famato, Acrimat, Acrismat, Sindifrigo, Ovinomat e o Fesa.

 

O Estado de Mato Grosso tem o maior rebanho do país, com cerca de 28 milhões de cabeças de gado. Ao se consolidar mais um ano sem o registro do foco da doença, serão 18 anos livre da febre aftosa. A Campanha de vacinação começou em 1º de novembro.

 

A meta, de acordo com o presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), Valney Sousa Corrêa, é fazer com que o Estado entre no 18º ano com o status de livre da febre aftosa, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde Animal, e por isso 100% dos animais devem ser vacinados. “Estarmos livre da aftosa com vacinação significa segurança para que Mato Grosso continue crescendo no mercado interno e externo, já que se trata de uma das exigências do mercado nacional e internacional”, avalia Corrêa.

 

A campanha de vacinação é coordenada pelo Indea-MT, instituição vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Seder-MT), Fundo Emergencial de Saúde Animal, Superintendência Federal de Agricultura no Estado de Mato Grosso (SFA/MT) e Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, responsável pelo Programa Nacional de Vacinação, atuando na liberação dos recursos nos prazos estabelecidos, garantindo o estoque de vacinas necessárias no mercado e evitando qualquer alteração de preço.

 

Nos casos em que a vacinação não for confirmada dentro do prazo previsto, a multa é de R$ 74,25 (2,25 UPF – Lei 7138 de 1999) por cabeça.

 

Fonte: Diário de Cuiabá(com assessoria).


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *