Postagem da Heineken revolta quem produz alimentos

Compartilhar

Postagem da Heineken revolta quem produz alimentos

Postagem da cervejaria Heineken no Instagram gera revolta em quem produz alimentos e em consumidores

A cervejaria Heineken entrou na mira de consumidores e da agropecuária, que engloba produtores de carnes (frango, suíno, bovino, caprino, ovino, peixe, etc..) neste fim de semana ao aderir a uma campanha de uma ONG de defesa de animais que promove a redução do consumo de carne.

Justamente o setor que apesar da pandemia e dos resultados abaixo dos esperados para o mercado de trabalho no Brasil em 2020, apresentou a maior geração de novas vagas de trabalho dos últimos 10 anos. Em 2020 a expansão foi de 142.690 novas vagas de trabalho no somatório de todos os setores da economia brasileira. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo CAGED), divulgados em 30/01/2021 pela Secretaria do Trabalho.

Além disso O PIB do agronegócio brasileiro subiu com força ao longo de 2020 e acumulou avanço recorde de 24,31% no ano, de acordo com cálculos do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, realizados em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).

Diante disso, o PIB do agronegócio brasileiro alcançou participação de 26,6% no PIB brasileiro, contra 20,5% em 2019. Em valores monetários, o PIB do País totalizou R$ 7,45 trilhões em 2020, e o PIB do agronegócio chegou a quase R$ 2 trilhões. Dados da ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), publicados em 2020 e referentes a 2019, o PIB apenas da Pecuária de Corte cresceu 7,6% em 2019, e somou R$ 618,50 bilhões de reais. E isso significa mais comida, renda, empregos, divisas e impostos para o brasileiro.

A ação se restringiu a um post no Instagram, mas a reação extrapolou para outras redes como o Twitter, onde as pessoas disseminaram a hashtag #churrascosemheineken

“Neste Dia Mundial Sem Carne, que tal comer e beber mais verde? A cerveja feita com água, malte, lúpulo e nada mais é a opção perfeita para o acompanhamento de hoje”, escreveu a cervejaria em seu post nas redes sociais, tentando fazer graça com as cores da sua icônica garrafa.

A ação de apoio à campanha MeatOut Day (Dia sem carne), iniciativa criada pela ONG americana Farm e que é promovida desde 1985, ficou restrita ao perfil brasileiro da Heineken.

A galera não perdoou. Até o final da tarde deste domingo, a postagem continha mais de 15,7 mil comentários, a maioria esmagadora dizendo que iria comemorar a data comendo carne sem Heineken. Os posts da marca, que tem 649 mil seguidores no Instagram, não costumam passar de 100 ou 200 comentários.

O coro foi puxado por perfis de consumidores, churrascarias e produtores rurais. Não faltou quem identificasse no logo da cervejaria holandesa ligações com o PT.

“Agora tá explicado a estrela vermelha na logo da Heineken”, escreveu o perfil @alexandresraffi, que compartilhou uma foto da garrafa com a sigla do Partido dos Trabalhadores aplicada sobre a estrela da logomarca.

Já o perfil de @mauricio_velloso, presidente da Associação Nacional da Pecuária Intensiva (Assocon), no Instagram lembrou que: “Churrascos, almoços, refeições, devem ser compartilhados com amigos. E alimento – cerveja é produto alimentício – deve ser feito por gente altamente competente, informada, cientificamente habilitada. O que pensar de uma empresa mundial que desconhece a expertise ambiental da pecuária brasileira, país onde está sediada? Até a NASA louva os nossos 66,3% de território preservado. A EMBRAPA já comprovou ao mundo que a nossa pecuária a pasto gera créditos de carbono, beneficiando todo o planeta. Pensando bem, há inúmeras outras marcas de cerveja fabricadas por gente mais responsável, informada, consequente… e amiga.”

Dados da Athenagro consultoria copilados do IBGE, Conab, Agroconsult, Inpe e Embrapa , corroboram com a frase de Mauricio Velloso. Saiba que de 1990 até 2020 o desenvolvimento da pecuária brasileira:

Evitou que 253 milhões de hectares fosse desmatados

Transferiu 17,9 milhões de hectares para a agricultura

Devolveu 50,3 milhões de hectares para a natureza (1,3 ha para cada ha desmatado)

Utiliza 99% da água classificada como verde. Ou seja, não polui. Comparando com a água utilizada na pecuária dos outros países (média mundial é 93% de água verde), a pecuária brasileira é ecologicamente correta.

Veja mais detalhes na imagem abaixo

Segundo Maurício Palma Nogueira, Sócio diretor da Athenagro – “Grandes corporações estão sendo vítimas de profissionais da comunicação totalmente despreparados. Na ânsia de mostrarem resultados com as postagens, justificando seus contratos, embarcam em mentiras, que se apóiam em bandeiras auto-intituladas justas, sustentáveis ou conscientes. Erram feio!!! E ainda causam enormes prejuízos aos seus clientes.”


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *