Criação de porcos em prédios de 13 andares

Compartilhar

Prédios de 7 e13 andares, leitões no elevador essa já é uma realidade nas super granjas na China.

Para reduzir a área, aumentar o controle fitossanitário e a produção, do que já é o maior rebanho de suínos do mundo, empresários chineses, estão construindo estruturas imensas estruturas para  modernizar a criação desses animais, esses empreendimentos localizam-se na região das montanhas Yaji e são propriedade do grupo Guangxi Yangxiang Co Ltd.

A estrutura conta com prédios de 7 e 13 andares, essas construções foram apelidadas de “Hotéis de Porco” e cada uma pode abrigar até 30.000 leitões.

A empresa agrícola de capital privado, já está operando com duas instalações de sete andares e está construindo mais quatro, incluindo uma com até 13 andares, que será o edifício mais alto do mundo em seu tipo. Quando a operação estiver totalmente pronta a propriedade entregará 840 mil leitões por ano, em uma área de 11 hectares.

A fazenda é tão moderna que conta com elevadores para  mover os leitões para diferentes andares em diferentes estágios da criação. Apesar do elevado nível de automação atividades como a distribuição de ração nos milhares cochos ainda é manual.

Segundo a empresa, cada andar é manejado separadamente para reduzir o risco de doenças, as novas porcas são introduzidas em um prédio no último andar e, em seguida, são movidas por elevador para um nível designado, onde permanecem.

O sistema de ventilação é projetado para evitar que o ar circule entre andares ou outros edifícios. Os dutos são conectados a um exaustor central no telhado, com poderosos ventiladores de extração que puxam o ar através de filtros e o empurram para fora em chaminés  de 15 m de altura.

A estação de tratamento de resíduos ainda esta em construção, quando concluída, após o tratamento, o líquido será pulverizado na floresta circundante e os sólidos vendidos para fazendas próximas como fertilizante orgânico.

Fazendas de suínos de dois ou três andares já foram experimentadas na Europa, porém não obtiveram muito sucesso, por causa das dificuldades de manejo e da resistência pública a fazendas grandes e intensivas.

Redação:  Equipe Mais Soja, com informações de FarmFor e The World.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *