Cinco curiosidades dos bastidores da animação Zootopia

Compartilhar

A coelha Judy sonha ser policial. Mas é muito pequena para o cargo. É o que pensam seus superiores, que duvidam do potencial da mocinha. Protagonista da animação Zootopia: Essa Cidade é o Bicho, novo filme da Disney, Judy foi observada de perto pela equipe do filme. Ou quase isso. Antes de fazer a animação, os produtores analisaram cada animal que estaria no elenco, suas peculiaridades, hábitos e até a textura de seus pelos. A ideia era criar bichos com riqueza de detalhes, apesar da adição de características humanas.

O filme, que chegou ao Brasil nesta quinta-feira, marca a volta dos animais ao posto de protagonistas de um filme do estúdio, depois de uma leva de histórias de princesas e super-heróis. Em janeiro, o presidente de animação da Disney, Andrew Millstein, esteve em São Paulo para uma apresentação sobre o longa que se passa em uma cidade povoada pelos mais diversos tipos de animais. No evento, ele revelou curiosidades do processo de criação de Zootopia. Confira cinco delas na lista abaixo.

Cinco curiosidades do filme ‘Zootopia’

Estudo intensivo

Os produtores do filme, bem como os diretores Byron Howard e Rich Moore, estudaram os mais diversos tipos de animais durante 18 meses a fim de criar um mundo adequado para seus personagens viverem em harmonia. A estratégia também buscou que a produção se aproximasse o máximo possível da realidade. Foram estudados os movimentos e hábitos de cada uma das espécies que aparecem no longa e seus ecossistemas. A tarefa contou até com uma viagem da equipe ao Quênia, onde tiveram contato com animais selvagens.

Shakira

A personagem Gazelle, uma popstar da cidade Zootopia, foi inspirada na colombiana Shakira. A cantora participou da produção dublando a personagem que deu origem. É dela também a música Try Everything, gravada especialmente para o filme. Na cena em que a protagonista, a coelha Judy, chega à cidade pela primeira vez, é esta a canção que está tocando em seus fones de ouvido.

A volta dos animais

A tradição da Disney em fazer filmes com personagens animais antropomórficos é antiga. O estúdio tem alguns de seus maiores clássicos protagonizados por bichos. Exemplos não faltam: Mogli – O Menino Lobo (1967), A Dama e o Vagabundo (1955) e O Rei Leão (1994) são alguns deles. Zootopia, entretanto, foi além e criou toda uma metrópole sem nenhum humano. A ideia foi de um dos diretores, Byron Howard, apaixonado pelo assunto. Ele já havia dirigido um filme no qual o herói é um cachorro, Bolt: Supercão (2008) – que, aliás, foi a última animação original do estúdio com um animal como estrela. A sacada de fazer uma sociedade de bichos animou seu parceiro de direção, Rich Moore, que, segundo Andrew Millstone, presidente de animação da Disney, reagiu efusivamente aos planos para o filme, com um “abraço de urso” no parceiro.

Tipos de pelo

Cada animal tem um tipo de pelo diferente — com diversas cores, texturas e tamanhos. Pensando nisso, a produção do filme estudou microscopicamente o tipo de pelagem de cada um dos bichos retratados no longa, com o intuito de representá-los da maneira mais fiel possível. Cada personagem teve os pelos feitos na animação de maneira única. Um urso polar, por exemplo, tem o pelo translúcido, que ao refletir a luz parece ser branco, enquanto um iaque possuí uma pelagem grossa e desgrenhada.

Troca de papéis

O plano inicial dos criadores do filme era que a raposa Nick fosse protagonista. Entretanto, com o projeto em andamento, decidiu-se que o centro das atenções deveria ser a coelhinha Judy Hopps. Após algumas adaptações, os papéis foram invertidos, mas, segundo Millstone, as características das personalidades de cada um foram mantidas, assim como a mensagem do filme, que prega a convivência entre seres diferentes e até opostos.

Link da matéria original

Fonte: Veja Online.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *