Pesquisador relata controle da ferrugem na safra 2016

Compartilhar

 

Manejo de resistência e fungicidas no controle da ferrugem da soja
 

Nesta manhã, o pesquisador Fabiano Siqueri, da Fundação MT, participou de um Webinar nos estúdios do Notícias Agrícolas, comandado pelo jornalista Aleksander Horta. Na ocasião, ele comentou sobre a ferrugem asiática na última safra em termo de eficiência de produtos, comportamento da doença e efeitos, além de comentar o futuro, com recomendações para que os produtores tenham um menor nível de prejuízo.

Siqueri apresenta um gráfico no qual mostra a evolução da doença ao longo das safras, demonstrando, assim, a imprevisibilidade da ferrugem, que, a cada ano, tem se comportado de maneira diferente. A safra 2016/17, por sua vez, se mostrou controlada – embora o FRAC tenha anunciado a resistência da ferrugem às carboxamidas em algumas áreas do país.

O pesquisador mostra também a evolução do plantio na última safra para o Mato Grosso, que estava em 75% no último dia 31 de outubro, caracterizando o plantio mais rápido dos últimos cinco anos. Essa antecipação do plantio pode ser um dos fatores de controle da ferrugem, já que arma uma estratégia na qual o fungo afeta menos a cultura em seu período de ação. “Quem planta cedo antecipa o desenvolvimento da soja e evita isso”, diz Siqueri, lembrando que a ferrugem chega no estado ao final de dezembro.

O uso de fungicidas também subiu na safra passada, tanto a nível de Mato Grosso quanto de país, o que demonstra que os produtores estão se precavendo contra as intempéries da doença.

Com isso, ele faz algumas reflexões da safra, na qual detecta que a ferrugem chegou mais cedo do que no ano passado, mas não veio tão forte. Houve um período de menos chuvas entre o Natal e a primeira quinzena de janeiro, o que ajudou a atrasar os danos da ferrugem. “A ferrugem teve baixa influência na produtividade nas últimas três safras”, lembra o pesquisador.

As primeiras áreas colhidas no Mato Grosso, em janeiro, tiveram produtividades altas que chegaram a até 100 sacas, porém, uma invernada em fevereiro provocou algumas perdas significativas e várias áreas foram abandonadas por produtores. Assim, ele lembra que o plantio precoce pode prejudicar a colheita.

Prevenção contra a ferrugem asiática

Os relatos de queda de eficácia das carboxamidas já eram esperados, mas, segundo Siqueri, apareceram mais cedo do que o desejado. É uma resistência cruzada, que não afeta todos da mesma maneira, mas afeta em algum grau. A quebra rápida da resistência pode ser fruto de uma pressão de seleção constante por meio do uso de uma única forma de controle e de aplicações exageradas.

Ele destaca algumas dicas para os produtores, como monitorar efetivamente a lavoura e a sua região regularmente, respeitar as recomendações quanto a dose e intervalos das aplicações, não aplicar o produto isolado, combinando com dois ou mais fungicidas e utilizar esses fungicidas também preventivamente, não apenas para combater o problema.

Acompanhe o Webinar completo com Fabiano Siqueri nos vídeos acima!

 

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
 
Fonte: Notícias Agrícolas

 


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *