Simpósio discute alternativas para setor do leite

Compartilhar

EM Erechim, RS, preço do leite está agradando os produtores. Com mais dinheiro no bolso, eles pretendem investir nas propriedades.

 

Benjamin Gempka tem um rebanho de 20 vacas leiteiras, que garantem o sustento da pequena propriedade em Erechim, no norte gaúcho.

O litro do leite está valendo agora R$ 0,90 centavos, R$ 0,20 a mais que na mesma época do ano passado. Com o alimento valorizado, os produtores pensam em expandir a atividade.

O Rio Grande do Sul é um estado importante na produção do leite. A atividade está presente em mais de 450 municípios. Só no norte do estado, são mais de 20 mil produtores que apostam no bom momento do setor.

O estado também possui uma das melhores produtividades do país: 1,34 mil litros de leite por vaca ao ano, segundo a Emater.

Sobre a qualidade do alimento, é preciso estar sempre atento e por isso, produtores e veterinários de todo o estado estão reunidos para discutir ações que possam melhorar a cadeia produtiva.

“A qualidade no leite se dá com relação às questões de higiene, às questões de sanidade do rebanho e às questões de alimentação do rebanho”, explica Francisco Signor, superintendente do Ministério da Agricultura.

Em maio, foi descoberto um esquema de fraude no Rio Grande do Sul, em que as empresas de transporte adulteravam o alimento.

O produtor Rodrigo Farina acredita que é preciso investir em tecnologia para evitar que isso continue a acontecer. “A gente sempre busca o melhor na qualidade, investindo em máquinas para ordenhar e fazer a armazenagem e o resfriamento adequado”.

 

Fonte: Globo Rural


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: