Milho tem aumento no preço em Mato Grosso

Compartilhar

Mato Grosso tem elevação nos preços do cereal no período de entressafra do milho.

É comum em Mato Grosso a elevação dos preços no período de entressafra do milho, devido à menor disponibilidade de grãos para o comércio. Assim, foi observado que as cotações disponíveis no estado aumentaram 115,49% desde o início da safra 19/20 (01 de julho de 2020), e atingiram na última sexta-feira R$ 68,87/sc.

Além da demanda aquecida, outros fatores vêm ditando essa valorização, como: a alta de 4,43% do dólar (de 01 julho/20 a 12 março/21), e também a elevação nas cotações do cereal na CME.

Já para o milho que está sendo semeado, safra 20/21, os preços também atingiram altos patamares, chegando a uma média de R$ 58,64/sc. Desse modo, os agricultores do estado têm um incentivo a mais para fechar negócios para a safra futura, entretanto, devido às incertezas na semeadura, que se encontra como uma das mais atrasadas da história, a tendência é que as negociações não movam grandes volumes até a definição da safra.

Confira os principais destaques do boletim:

• O indicador Imea-MT registrou elevação de 1,35% em relação à semana passada, após alta do dólar e menor disponibilidade do grão no estado. Assim, o preço médio do milho disponível ficou em R$ 69,13/sc.

• Na CME o contrato futuro (jul/21) apresentou elevação de 0,43% em relação à semana passada, e ficou cotado a um preço médio de US$ 5,30/bu.

• As cotações do milho na B3 registraram alta de 3,01% no comparativo semanal, após firme demanda pelo cereal e ofertas restritas. Assim, o preço médio ficou em R$ 91,40/sc.

• A contínua alta nos preços do estado fez com que a base MT-CME se elevasse 7,89% e finalizasse a média semanal com diferença de R$ 5,42/SC entre as praças de MT e Chicago.

Semeadura segue em atraso:

Com o avanço da colheita da soja, mesmo estando em atraso, as áreas destinadas ao milho safrinha começam a aumentar a disponibilidade em Mato Grosso para o cultivo do cereal. Com isso a semeadura do milho entra na sua reta final, totalizando 88,32% das áreas já cultivadas até a última sexta-feira (12/03/2021), avanço de 15,28 p.p. em relação à semana anterior.

Entretanto, os trabalhos atuais continuam com atraso de 9,17 p.p. em relação à média dos últimos cinco anos e de 11,33 p.p. ante a safra 19/20. Com relação às regiões, a nordeste toma frente como a mais adiantada, tendo 94,47% dos trabalhos concluídos, avanço de 18,24 p.p. na semana.

Por fim, devido à disponibilidade lenta de áreas ocupadas por soja, a região centro-sul segue como a mais atrasada, atingindo 73,46% dos trabalhos concluídos, avanço de 16,51 p.p. na semana. Com isso, espera-se que os trabalhos se encerrem nas duas próximas semanas.

Fonte: IMEA.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *