Vai faltar trigo e preço pode subir mais

Compartilhar

Restariam apenas 3,02 milhões de tons disponíveis para serem comercializadas.

Na avaliação da T&F Consultoria Agroeconômica, haverá escassez de oferta de trigo argentino no mercado, e isso poderá provocar mais inflação nos preços do cereal de inverno. “Estamos apenas no segundo mês depois de terminada a colheita de trigo na Argentina e já estão comprometidos 83,94% da safra 2018/19, segundo relatório do Ministério da Agroindústria local”, aponta a T&F.

Foram 14,07 milhões de toneladas adquiridas pelos exportadores e 1,71 milhão de toneladas compradas pelos moinhos. “Se tomarmos como certo que a safra foi de 18,8 milhões de toneladas, segundo a consultoria Agritrend (há divergências que vão 18,5 milhões de toneladas a 19,5 milhões de toneladas), restariam apenas 3,02 milhões de tons disponíveis para serem comercializadas”, argumentam os analistas de mercado.

De acordo com eles, isso é absolutamente insuficiente para atender o que resta da demanda dos moinhos locais (4,29 milhões de toneladas), mais a demanda brasileira de aproximadamente 2,5 milhões de toneladas até o final da temporada, além da demanda do Sudeste da Ásia, pela quebra da Austrália. “Esta disputa pelo que resta de grão certamente deverá elevar as cotações nos próximos meses, embora ela esteja limitada pela alta do dólar no Brasil”, conclui a T&F.

TRIGO PARAGUAIO

Com a demanda brasileira ausente para o Carnaval, devendo retornar apenas na próxima quarta-feira e o dólar batendo a cada dia novos recordes é possível que não haja comercialização nesta semana. Ainda de acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, a alta do Dólar encarece o trigo paraguaio. Os preços continuam inalterados ao redor de US$ 210 em Campo 9, US$ 230,00 no Oeste do PR e US$ 230,00 no Mato Grosso do Sul.

FONTE: AGROLINK – Leonardo Gottems.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *