Milho volta a correr risco em MT

Compartilhar

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Carlos Fávaro, e produtores rurais de todas as regiões do Estado participaram de uma reunião com o superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), regional Mato Grosso, Ovídio Costa Miranda, para discutir medidas necessárias para escoar a produção do milho mato-grossense.

 

Durante o debate os produtores questionaram os entraves em virtude da política nacional de certificação de armazéns e cobraram uma intervenção do governo federal para auxiliar no escoamento da safra de grãos e evitar a estocagem a céu aberto. Mato Grosso está prestes a colher mais de 17 milhões de toneladas de milho nesta safra, até o fim da semana passada cerca de 13% do cereal já havia sido colhido.

 

O consumo do Estado gira em torno de 3 milhões de toneladas e, por meio dos contratos de Opção e Aquisição do Governo Federal (AGF), realizados pela Conab nos últimos dias, devem ser adquiridos outros 3 milhões do cereal mato-grossense. Contando o que já foi comercializado para exportação, vão sobrar mais de 6 milhões de toneladas que ainda não têm destino certo. De acordo com o delegado da Aprosoja/MT em Vera, Rafael Bilibio, em poucos dias os armazéns da cidade já vão ultrapassar o limite de estocagem.

 

“A nossa produção recorde vai ficar ao relento. Não dou mais que dez dias para que não haja um armazém sequer para receber nosso milho”, enfatizou Bilibio. A reunião que foi realizada no prédio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato), na semana passada, tinha como objetivo inicial anunciar novidades quanto às outras modalidades de aquisição de milho pelo governo federal.

 

De acordo com Carlos Fávaro, a ausência dos representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) foi motivada pela não aprovação do Ministério da Fazenda. “Estamos aguardando que o Ministério da Fazenda assine a portaria interministerial que autoriza a liberação de R$ 700 milhões para intervenções no Estado”, declarou Fávaro.

Anuncio congado imagem

 

Nos últimos dias a Aprosoja tem trabalhado para que a nova safra recorde do Estado seja escoada por meio de leilões de prêmio que têm como objetivo equalizar os altos custos de escoamento. São eles: Prêmio para Equalização de Preços ao Produtor (Pepro) ou de subvenção ao frete (PEP).

 

A primeira modalidade a ser adotada seja o PEP. “Precisamos esvaziar nossos armazéns e o PEP é o meio mais rápido para essa saída”, alertou. Os produtores também tecerem fortes críticas quanto à nova obrigação da Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz/MT) para a arqueação dos armazéns do Estado, ou seja, uma nova medição de capacidade que deve ser feita até o fim de julho. Caso a armazenadora não faça, a Inscrição Estadual será cancelada, impossibilitando a recepção do cereal em plena safra.

 

Fonte: Diário de Cuiabá


Compartilhar

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp ( clique aqui ), ( clique aqui ) ou Telegram Portal Agron ( clique aqui ), Telegram Pecuária ( clique aqui ) , Telegram Agricultura ( clique aqui ) e no nosso Twitter ( clique aqui ) . 🚜 🌱 Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias ( clique aqui )

  • Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!
  • Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.
  • Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!
  • If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!
  • We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.
  • We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: