CTC do solo, o que é e qual sua importância?

Compartilhar

O solo é um sistema trifásico, coloidal e aberto, que apresenta elevada complexidade, contendo várias características físico-químicas que podem exercer influência direta ou indireta sobre a fertilidade do solo, seu manejo e a disponibilidade de nutrientes para as plantas.

Uma dessas características, está relacionada a presença de cargas elétricas nos colóides do solo que possibilitam a troca de cátions, também conhecida como CTC (capacidade de troca de cátions). A capacidade de troca de cátions (CTC) corresponde à soma das cargas negativas nas partículas microscópicas do solo (fração argila, e matéria orgânica) retendo os cátions, tais como cálcio (Ca2+), magnésio (Mg2+), potássio (K+), sódio (Na+), alumínio (Al3+) e hidrogênio (H+). A importância da CTC refere- se não só a retenção de cátions, mas também da água, além de ter direta relação com a estruturação e consistência do solo (Souza; Lima; Teixeira., 2009).

Em outras palavras, cátions retidos (adsorvidos) nos colóides do solo podem ser substituídos por outros cátions. Isto, em termos práticos, significa que eles são trocáveis. O cálcio pode ser trocado por hidrogênio e, ou, potássio ou vice-versa. Quanto maior a CTC do solo, maior o número de cátions que este solo pode reter. Portanto, a CTC é uma característica físico-química fundamental ao manejo adequado da fertilidade do solo (Lopes & Guilherme).

Em razão da maioria dos solos apresentar maior número de cargas negativas do que positivas em seus colóides, a adsorção é principalmente de cátions, sendo assim, a CTC pode ser relacionada com a fertilidade do solo, principalmente se tratando de cátions (Ronquim, 2010).

Basicamente, a nível de manejo a CTC do solo geralmente pode ser medida em CTC pH 7,0; CTC efetiva e CTC calculada. A CTC pH 7,0 indica a quantidade total de cargas negativas que o solo poderia apresentar se o seu pH fosse 7,0. A CTC efetiva indica a quantidade de cargas negativas ocupadas com os cátions trocáveis. Neste caso não se considera o H+ (Prezotti & Guarçoni M., 2013). Já a CTC determinada, tem como objetivo determinar efetivamente (medir) qual é a real CTC do solo (Laborsolo, 2017).

Em termos gerais, a diferença entre a CTC a pH 7.0 e a CTC Efetiva é na verdade, a quantidade de cátion representados pelo íon H+ que podem ser neutralizados por íons oriundos de calagem como o OH–(Laborsolo, 2017).

De maneira geral, a CTC esta relacionada com a capacidade do solo em trocar cátions com a solução do solo, afetando assim a disponibilidade de nutrientes nessa solução para as plantas. A CTC pode ser influenciada pelo tipo de partícula que compõem a estrutura do solo (textura do solo), pH, tipo de material coloidal e matéria orgânica do solo (Verzutti).

Por apresentar relação direta com a fertilidade do solo, pode-se dizer que quanto maior a CTC do solo maior a fertilidade dele. Sendo assim, a CTC do solo pode ser um dos critérios para determinar o manejo da fertilidade do solo. Com isso em vista, aumentar a CTC do solo é aumentar sua fertilidade. A calagem adequada (níveis de pH adequados) e o aumento dos teores de matéria orgânica do solo são as principais fontes do ponto de vista de manejo que podem proporcionar aumento da CTC do solo. Por apresentar relação também com a textura do solo, alguns solos podem apresentar CTC superior a outros independente do manejo adotado.

Referências:

LOPES, A. S.; GUILHERME, L. R. G. INTERPRETAÇÃO DE ANÁLISE DE SOLO: CONCEITOS E APLICAÇÕES. Associação Nacional para Difusão de Adubos, ANDA. Disponível em: < https://www.agrolink.com.br/downloads/interpretacao_de_analise de_solo_conceitos_e_aplicacoes.pdf >, acesso em: 10/03/2021.

PREZOTTI, L. C.; GUARÇONI M, A. GUIA DE INTERPRETAÇÃO DE ANÁLISE DE SOLO E FOLIAR. Incaper, 2013. Disponível em: < https://biblioteca.incaper.es.gov.br/digital/bitstream/item/40/1/Guia-interpretacao-analise-solo.pdf >, acesso em: 10/03/2021.

RONQUIM, C. C. CONCEITOS DE FERTILIDADE DO SOLO E MANEJO ADEQUADO PARA AS REGIÕES TROPICAIS. Embrapa, Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n. 8, 2010. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/31004/1/BPD-8.pdf >, acesso em: 10/03/2021.

SOUZA, T. T.; LIMA, A. B.; TEIXEIRA, W. G. O AUMENTO DA CAPACIDADE DE TROCA DE CÁTIONS (CTC) DO SOLO ATRAVÉS DA APLICAÇÃO DE CARVÃO VEGETAL EM UM LATOSSOLO AMARELO NA AMAZONIA CENTRAL. 61° Reunião Anual da SBPC, 2009. Disponível em: < http://www.sbpcnet.org.br/livro/61ra/resumos/resumos/5950.htm >, acesso em: 10/03/2021.

VERZUTTI, J. CTC DO SOLO: 6 PERGUNTAS PARA FICAR POR DENTRO DO ASSUNTO! Agropós. Disponível em: < https://agropos.com.br/ctc-do-solo/ >, acesso em: 10/03/2021.

Fonte: Equipe Mais Soja.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *