Aprosoja/MS alerta produtores

Compartilhar

Aprosoja/MS alerta produtores sobre representação na Câmara Federal.

 

Neste ano de eleição o produtor rural sul-mato-grossense deve analisar suas lideranças e votar em quem defende o setor primário, para que não correr risco de ficar sem representantes na Câmara Federal no próximo mandato. A afirmação é do presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), Mauricio Saito, que discursou aos produtores rurais de Chapadão do Sul, na abertura da 22ª Exposição Agropecuária Industrial (Exposul), nesta quarta-feira (4).

 

Durante o evento, Saito alertou os participantes sobre o cenário de desafios da agropecuária do Estado que exige representação ativa em Brasília. “Atualmente a bancada que representa o agronegócio tem trabalhado com eficiência. O produtor precisa avaliar a atuação dos próximos candidatos e escolher cuidadosamente o seu voto e lembrar que reside em um Estado rural”, destacou o presidente da Aprosoja/MS, ao citar a logística e os tributos como entraves para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul.

 

As autoridades que participaram da abertura da Exposul concordaram com o dirigente e consideraram as invasões em propriedades rurais como um dos desafios para os próximos deputados federais. “Deve-se garantir o direito de propriedade e também o direito dos indígenas, o que não se deve é rasgar uma constituição e prejudicar quem não se entrega apesar da logística desfavorável, o mau tempo que se forma e os tributos que não contribuem. E os eleitos que vão dar encaminhamentos para estes fatores. Precisamos de representantes,” discursou a deputada estadual Mara Caseiro.

 

O também deputado estadual, Carlos Marun, foi enfático ao caracterizar o cenário formado pelas invasões indígenas em propriedades privadas como “deprimente e desesperador”. “Caso o governo de Mato Grosso do Sul não tivesse posicionamento definido, a situação não teria controle”, avalia Marun referindo-se à atuação do governador André Puccinelli. “O campo hoje sustenta o Governo brasileiro. Não dá para permitir que um funcionário da Funai olhe para um pedaço de terra e diga que é indígena, enquanto as terras deste Estado foram adquiridas de boa fé,” posicionou-se o deputado.

 

Ao abrir oficialmente a Feira Agropecuária de Chapadão do Sul, o presidente do Sindicato Rural do município, Rudimar Artur Borgelt, pontuou que além de refletir sobre a representação política na Câmara Federal, os produtores rurais devem se aliar as classes representativas e unir forças contra os desafios. Também participaram do evento o prefeito de Chapadão do Sul, Luiz Felipe Barreto de Magalhães, com a vice-prefeita, Liza Scheide, o deputado estadual Marcio Fernandes, a presidente da Câmara de Vereadores, Rosemari da Cruz, e o juiz de direito, Silvio César Prado.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *