Sicredi consolida liderança no Rio Grande do Sul

Compartilhar

.Banrisul, o segundo colocado, é seguido de perto pela Yara, que tem a maior receita entre as 100 Maiores Empresas do Estado
.Rio Grande do Sul empata com o Paraná em número de empresas entre as 500 maiores do Sul: 183
*Empresas gaúchas têm total de patrimônio, receita e lucros inferior às cifras das paranaenses, mas predominam nos ranking setoriais

O Sicredi fortaleceu sua liderança entre as 100 maiores empresas do Rio Grande do Sul, depois de tomar a dianteira no ranking anterior, em razão da transferência da sede administrativa do Grupo Gerdau para São Paulo, o que determinou a retirada do grupo siderúrgico da lista. No exercício de 2019, a cooperativa de crédito se manteve no topo com um com um Valor Ponderado de Grandeza de R$ 14,3 bilhões – quase o dobro do VPG do Banrisul (R$ 7,6 bilhões). O Sicredi também lidera a lista das empresas gaúchas com maior patrimônio líquido e, ostenta, ainda, o maior lucro líquido. A Yara é a campeã em receita líquida. Aliás, com um VPG de R$ 7,3 bilhões, a Yara também se aproximou do Banrisul, o vice-líder do ranking gaúcho.

“Por desde o seu início receber tão somente balanços publicados ou enviados pelas empresas, 500 MAIORES DOU SUL sempre destacou a transparência das companhias do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul e ajudou a estabelecer parâmetros de compliance para os líderes da região”, destaca Jorge Polydoro, publisher do Grupo AMANHÃ.  “Analisamos cerca de 2 mil balanços de empresas da Região Sul. Vimos que muitas dessas companhias estavam em um ritmo acelerado de crescimento, mas tiveram que colocar o pé no freio agora em 2020. A nossa percepção é que o fôlego e a disposição de 2019 ainda existem, estão latentes, e podem ser retomados. O aprimoramento das práticas ligadas à governança, sustentabilidade e diversidade deverão guiar as empresas que querem se manter no topo do ranking para os próximos anos”, afirma Carlos Peres, sócio da PwC Brasil e líder da região Sul.  “O ranking 500 MAIORES DO SUL, que a PwC realiza em parceria com o Grupo AMANHÃ há 30 anos, consolidou-se neste tempo como um dos principais termômetros para o meio corporativo dos três estados. Os resultados desta edição denotam, mesmo com os desafios enfrentados, a pujança da economia da região, que mostrou crescimento em comparação com a última edição do ranking, relativa ao exercício de 2018”, afirma Rafael Biedermann, sócio da PwC Brasil.

Nesta edição de 500 MAIORES DO SUL, o Rio Grande do Sul volta a ser superado pelo Paraná na soma de VPGs (Valor Ponderado de Grandeza), de patrimônios, de receitas e de lucros. A saída do grupo Zaffari da lista gaúcha, por não ter publicado balanço até o fechamento da edição, contribuiu para que Santa Catarina – que teve a estreia do Grupo Havan – ultrapassasse pela primeira vez o Rio Grande do Sul em volume total de receitas líquidas.

A liderança positiva das gaúchas na região Sul se dá no ranking setorial. Dos três estados, o Rio Grande do Sul é quem tem o maior número de líderes de setores, por receita bruta ou por rentabilidade.  As companhias riograndenses apresentam a maior média de endividamento, 55,2%, percentual próximo ao das catarinenses e das paranaenses, e aparecem distanciadas das vizinhas em uma liderança indesejável – a dos maiores prejuízos -, muito por causa da CEEE, que perdeu em 2019 R$ 693 milhões.

O Rio Grande do Sul empata com o Paraná no número de representantes entre as 500 maiores – cada um tem 183 empresas. Em 2019, em relação a 2018, o Paraná perdeu três empresas no pelotão das 500 MAIORES DO SUL, enquanto Santa Catarina inseriu mais nove companhias. Já o Rio Grande do Sul perdeu seis representantes. 

 

                  

Indicadores

PR

SC

RS

 

Soma dos VPGs* (em R$ bi)

149,3

127,0

138,1

 

Receita líquida (em R$ bi)

221,2

201,7

197,9

 

Patrimônio (em R$ bi)

117,8

89,9

114,7

 

Lucro líquido (em R$ bi)

19,8

13,9

16,7

 

Prejuízo (em R$ bi)

(0,89)

(0,24)

(1,17)

 

Número de empresas

183

134

183

 

 

 

             

(*) VPG: Valor Ponderado de Grandeza. Resulta da soma de patrimônio (com peso de 50%), receita líquida (40%) e resultado líquido do exercício (10%).

 

Os 10 maiores VPGs* do Rio Grande do Sul

2019

Grupo/Empresa

R$ Milhões

1

Sicredi – Consolidado

   14.322,85

2

Banrisul – Banco do Estado do RS

      7.688,02

3

Yara Brasil Fertilizantes S/A

      7.318,74

4

CMPC

      6.739,51

5

Lojas Renner S/A

      6.297,59

6

RGE Sul Distribuidora de Energia S/A

      5.229,77

7

Camil Alimentos

      3.307,09

8

Empresas Randon

      3.154,98

9

Grupo SLC

      2.996,54

10

Marcopolo e Controladas

      2.926,22

(*) VPG: Valor Ponderado de Grandeza. Resulta da soma de patrimônio (com peso de 50%), receita líquida (40%) e resultado líquido do exercício (10%).

 

Os 10 maiores patrimônios líquidos do Rio Grande do Sul

Pos.

Grupo/Empresa

2019*

2018*

Variação Patrim. Liq.

1

Sicredi – Consolidado

        17.758,24

   15.290,89

      16,10

2

CMPC

        10.133,32

      9.362,49

        8,20

3

Banrisul – Banco do Estado do RS

           7.794,36

      7.278,90

        7,10

4

Lojas Renner S/A

           4.704,61

      3.954,51

      19,00

5

RGE Sul Distribuidora de Energia S/A

           3.950,62

      3.727,28

        6,00

6

Grendene S/A

           3.682,44

      3.465,04

        6,30

7

Grupo SLC

           3.432,16

      3.184,20

        7,80

8

BRDE – Banco Reg. Des. Extr. Sul

           2.887,00

      2.676,33

        7,90

9

Getnet Adq. e Serv. para Meios de Pagamento S/A

           2.611,77

      2.165,28

      20,60

10

Yara Brasil Fertilizantes S/A

           2.559,37

      3.236,30

    (20,90)

*Em R$ milhões.

 

As 10 maiores receitas líquidas do Rio Grande do Sul

Pos.

Grupo/Empresa

2019*

2018*

(%)

1

Yara Brasil Fertilizantes S/A

      15.107,80

             12.753,90

             18,50

2

Sicredi – Consolidado

      12.739,75

             11.084,44

             14,90

3

Lojas Renner S/A

         9.588,44

                8.426,54

             13,80

4

Banrisul – Banco do Estado do RS

         9.105,41

                9.551,78

             (4,70)

5

RGE Sul Distribuidora de Energia S/A

         7.980,14

                4.198,35

             90,10

6

Camil Alimentos

         5.396,11

                4.748,83

             13,60

7

Empresas Randon

         5.092,37

                4.262,60

             19,50

8

Rodoil Distribuidora de Combustíveis S/A

         4.418,42

                4.415,36

               0,10

9

CEEE – Cia. Estadual de Energia Elétrica

         4.385,14

                4.230,34

               3,70

10

Marcopolo e Controladas

         4.314,53

                4.197,47

               2,80

*Em R$ milhões.

Os 10 maiores lucros líquidos do Rio Grande do Sul

Posição

Grupo/Empresa

(R$ Milhões)

1

Sicredi – Consolidado

            3.478,25

2

Banrisul – Banco do Estado do RS

            1.486,70

3

Lojas Renner S/A

            1.099,09

4

CMPC

                654,51

5

RGE Sul Distribuidora de Energia S/A

                624,00

6

Getnet Adq. e Serv. para Meios de Pagamento S/A

                585,38

7

Grendene S/A

                494,95

8

Calçados Beira Rio S/A

                398,44

9

Terramar Investimentos S/A (Évora)

                363,36

10

Alibem Alimentos S/A

                356,90

 

Critério de classificação das empresas – Para revelar quem é quem entre as empresas do Sul, a Revista AMANHÃ e a PwC Brasil construíram um indicador exclusivo: o Valor Ponderado de Grandeza (VPG). O índice reflete, de forma equilibrada, o tamanho e o desempenho das empresas, a partir de uma ponderação que considera os três grandes números do balanço: patrimônio líquido (que tem peso de 50% no cálculo do VPG), receita líquida (40%) e lucro líquido ou prejuízo (10%).  


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: