Paraná dobra exportações de carne bovina em 2016

Compartilhar

Apesar de tímida, participação do Estado representa 2,8% da atividade no País no primeiro trimestre; São Paulo (26,3%) continua liderando o ranking, segundo Abrafrigo.

A Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) divulgou ontem dados compilados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) que tratam da exportação de carne bovina nos principais estados brasileiros que trabalham com a atividade, neste primeiro trimestre de 2016. O Paraná mais que dobrou sua movimentação, passando a ser responsável por 2,8% das exportações em 2016, atingindo a marca de 9,98 mil toneladas. São Paulo continua à frente do ranking, com 93,7 mil toneladas (26,3% do total), seguido de Mato Grosso (16,7%) e Goiás (12,5%).

De acordo com a entidade, os números apontam pequena recuperação das exportações do produto em alguns estados onde a pecuária estava “em decadência acentuada”, como é o caso do próprio Paraná. Minas Gerais cresceu de 6,3% para 7,4% no mesmo período e o Pará foi de 4,3% para 6,2%. Rondônia e Rio Grande do Sul também apresentaram crescimento nas vendas externas. Por região, quem mais cresceu foi o Norte do País,que passou de 16,6% para 20% de representatividade. Já a região Sul saltou de 5,6% para 7% neste mesmo período. A principal região produtora continua sendo o Centro-Oeste, com 136,6 mil toneladas (38,4%), mas sem crescimento significativo no comparativo.

China

O Ministério da Agricultura (Mapa) divulgou esta semana números relacionados às exportações agropecuárias brasileiras, que colocam a China novamente como principal destino dos produtos. Em março deste ano, o país asiático comprou U$ 2,8 bilhões, alta de 25,6% em relação ao mesmo período do ano passado. As carnes chegaram ao valor recorde de US$ 152 milhões. Deste total, US$ 12 milhões foram de carne suína; US$ 62 milhões, carne bovina e US$ 78 milhões, carne de frango.

A carne de frango também se sobressai nas exportações brasileiras para outros países. Os Emirados Árabes, por exemplo, compraram U$ 46 milhões do produto – o que corresponde a 39,6% de todas as vendas do setor. Já nas vendas externas para o Japão, a carne de frango liderou com exportações de US$ 75 milhões. “O bom desempenho é resultado das negociações do Ministério da Agricultura com o governo chinês para acabar com os embargos e habilitar plantas frigoríficas para exportação”, afirma a secretária de Relações Internacionais do Agronegócio, Tatiana Palermo.

Link da matéria original

Fonte: Folha Web.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: