Fazenda sai do vermelho e projeta faturar até 18% sobre rebanho

Fazenda sai do vermelho e projeta faturar até 18% sobre rebanho

Compartilhar

Fazenda em Mato Grosso do Sul melhora gestão, sai do vermelho e projeta faturar até 18% sobre o rebanho.

Agron Home

Veja também: Mulas como barriga de aluguel para outras espécies

A formação em engenharia eletrônica e a experiência como gerente de projetos ajudou Túlio Ibanez Nunes a entender os indicadores da pecuária. Mas quando ele passou a se dedicar integralmente às fazendas da Rio Corrente Agropastoril, um conjunto de propriedades de seu sogro em Mato Grosso do Sul, ainda faltava um empurrãozinho que pudesse lhe apontar quais eram os números a serem perseguidos e como estavam se saindo outras fazendas e gestores em situação similar à sua.

O pecuarista compartilhou sua história, que foi transformada pela capacitação promovida por eventos, lives e pelo programa Fazenda Nota 10. “Quando eu comecei a administrar, cuidar um pouquinho mais de perto da fazenda, a gente estava no vermelho, não tinha lucro nenhum. A gente tinha uma lógica, mas a família pedia para parar de colocar dinheiro na fazenda porque a gente não estava conseguindo tirar nada. Aí o primeiro pensamento era quebrar essa imagem, ‘zerar’ essa conta. Então vamos cortar despesas, aumentar receita, mas tudo muito sem noção. Porque você pode estar errado porque tem muita despesa ou porque não tem receita. O que é uma despesa correta ou uma receita correta? Isso são as coisas que a gente aprende no Fazenda Nota 10. A gente conseguiu organizar a casa”, comentou Túlio em sua entrevista.

Não só Túlio e seu sogro organizaram a casa e fizeram valer o investimento da família, como também já não se contentam em sair do vermelho. “O resultado saiu zero e isso já foi comemorado. Depois eu comecei a entender que a gente pode tirar 12% a 18% do que vale o rebanho ou 3% a 6% do valor da terra (veja detalhes desta projeção no link abaixo). Essa foi uma segunda etapa. Agora já estou numa etapa em que eu não aceito mais só zerar, eu quero ter 15%, 18% em cima do valor do meu rebanho”, confirmou o gestor.

Mas quem percebe este sucesso não imagina que nem faz muito tempo que Túlio se dedica integralmente à pecuária. “Eu sou engenheiro eletrônico, então eu trabalhei a minha vida inteira mexendo com número, fazendo contas, planejamentos, medindo e fazendo análise de dados. Tudo isso é uma função básica de engenheiro. Mas quando eu vou para a fazenda, para a área de pecuária, esse não é o meu forte. Eu não sou veterinário, não entendo como funciona o animal, como funciona um pasto. Então essas atividades todas relacionadas à pecuária e agricultura eu tive que lançar mão de consultores, de pessoas que têm mais experiência nessa área. E também nessa parte o Fazenda Nota 10 nos deixa um pouco mais confortáveis. Eu vou aprendendo, vou aprendendo também com os webinários do Giro do Boi, com eventos… Eu vou participando e aí eu fui melhorando, vamos dizer, minhas habilidades de entendimento da pecuária e da agricultura”, recordou.

Túlio, que começou a ajudar seu sogro na administração das fazendas em 2013 e desde 2016 se dedica integralmente ao projeto, enxergou então a oportunidade de continuar evoluindo por meio do programa Fazenda Nota 10. “Eu acho que essa foi uma coisa que sempre me interessou, me desenvolver. E esse programa do Fazenda Nota 10 te traz um conceito que para mim é chave, isso desde a minha época de gerente de projeto: que para você entender qualquer problema, você precisa passar algumas fases: você tem que diagnosticar, […] você tem que justar esses dados e analisar. Aí entra o benchmarking: você compara, você vê o que está certo e errado e faz um plano, prepara esse plano, executa e depois você vai ver o que deu certo, o que não deu para corrigir aqui e ali. Por esse caminho eu acho que a gente consegue atingir os objetivos. E o Fazenda Nota 10 é muito enfático nesse tipo de metodologia”, opinou Túlio.

Como além da metodologia do programa, o engajamento dos gestores das propriedades também é parte essencial do Fazenda Nota 10, Túlio virou um dos grandes exemplos de sucesso dentro da iniciativa de capacitação em gestão e comparação de resultados. “A Rio Corrente Agropastoril é uma fazenda nota 10, muito disciplinada. O Túlio está desde o início da safra conosco, vem lançando os dados corretamente, já tomou decisões em cima dos diagnósticos que ele teve. […] Com os números na mão, fica mais fácil, ele não está de olho vendado”, comentou o zootecnista Rodrigo Gennari, que faz parte da equipe do Inttegra como um dos coordenadores do Fazenda Nota 10.

Nunes ilustrou como as decisões ficam mais naturais dentro da porteira. Enxergando a oportunidade de intensificar a engorda pelo que foi constatado junto ao Fazenda Nota 10, a Rio Corrente Agropastoril já está concluindo a construção de um confinamento uma de suas propriedades. “A gente tem duas unidades maiores. A gente tem uma área grande no Pantanal, onde a gente trabalha só com cria, e a gente tem áreas na região de Coxim. A gente tem uma parte de cria, uma parte de recria e a gente tinha a terminação a pasto. Mas já faz um ou dois anos que a gente nem termina mais a pasto, a gente está mandando para o boitel. Só que esse ano aqui a gente resolveu que era bom a gente ter mais uma ferramenta na nossa estrutura, que era o confinamento. Então a gente resolveu investir no confinamento e está quase pronto, está ‘nos finalmentes’ e a gente espera usá-lo aqui nesse primeiro giro de 2021”, contou.

O zootecnista Rodrigo Gennari exemplificou ainda uma outra melhoria prática nas propriedades do grupo que a participação no Fazenda Nota 10 viabilizou. “Ele estava com uma mortalidade um pouco alta, de quase 1%. Ele identificou isso lá atrás e depois fez melhorias, com pontos de atenção e nesse terceiro trimestre ele já está com 0,2% de taxa de mortalidade. É bem simples e objetiva a metodologia e a fazenda colocando os dados a gente vai fazendo auditoria, passando pente fino, vai dando diagnósticos e a gente tem indicadores produtivos e financeiros”, comentou Gennari.

Entre outras medidas, proteção dos bezerros ajudou a reduzir mortalidade de quase 1% para 0,2%.

“A gente estava muito fora do benchmarking. Então a gente tentou descobrir o que era. Boa parte das coisas, às vezes, a gente não tem controle. Por exemplo, morte por onça, picada de cobra, para isso não tem controle. Então a gente tomou alguma atitude, como trazer os bezerros para uma parte mais próxima das casas, mais longe das bordas de mata e isso deu uma reduzida na mortalidade. A gente também enfatizou que não podia perder um animal, então o pessoal começou a manejar um pouco melhor, tomar mais cuidado. Tem questões de bem-estar animal, que também a gente tem algumas iniciativas para pegar o gancho da questão desse índice”, salientou.

A Rio Corrente Agropastoril é uma das propriedades do Fazenda Nota 10 que faz parte de uma iniciativa que está incentivando . “Tem um ponto que vai dar um ‘up’ nesse programa, que é a questão do bem-estar animal com esse trabalho da consultoria BE.Animal, com o professor Mateus Paranhos, a Ana, a Janaína, que a gente está implementando na nossa fazenda. Isso é muito importante. A gente já está vendo resultado disso, a gente já está implementando algumas coisas”, ressaltou. Relembre pelo link a seguir o trabalho da BE.Animal para redução do uso da marca a fogo em propriedades do Fazenda Nota 10:

Fazendas da Rio Corrente Agropastoril já começaram a reduzir uso da marca a fogo.

Túlio respondeu se recomenda que outros produtores façam parte da próxima temporada do programa Fazenda Nota 10. “Com certeza! Só esse exemplo (redução da mortalidade para mim já resolveu, já valeu a pena. Você entende qual o potencial da sua fazenda, onde você pode chegar. Você tem um norte. Você pode trabalhar em cima de um norte, que é todo esse benchmarking, todos esses dados dessa metodologia. […] Além das outras coisas, a gente trabalha muito a questão das pessoas, como lidar melhor com as pessoas, porque no fundo quem faz tudo é o pessoal da fazenda, não sou eu. Não adianta eu querer alguma coisa se as pessoas não fazem. Então elas têm que estar motivadas. […] Eu já estou inscrito para a próxima safra do Fazenda Nota 10. O Rodrigo vai continuar pegando no meu pé e eu no pé dele”, brincou.

“É reta final para inscrições na safra 21/22 do Fazenda Nota 10, que começa em 1º de julho. […] As vagas estão acabando, mas ainda dá tempo. […] O Fazenda Nota 10 é para qualquer tipo de sistema e tamanho. A gente tem pequeno, médio e grande pecuarista de cria, de recria e engorda, de ciclo completo, de confinamento também […] e a gente tem o feedback de mudanças de vida, mudanças de cultura dentro da fazenda, fazendas batendo metas, tendo planejamento. É um marco mesmo para a pecuária”, celebrou Gennari.

“É um programa de capacitação de gestão e comparação via benchmarking. E para quem entra, a gente dá todo o suporte, temos um time de consultores que faz auditoria dos dados, ensina, tem treinamento online. A gente dá todo o respaldo”, assegurou o zootecnista.

Fonte: Giro do Boi.


Compartilhar

One thought on “Fazenda sai do vermelho e projeta faturar até 18% sobre rebanho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *