Sem-terra invadem fazenda de empresa na BA pela 3ª vez

Compartilhar

\"\"Empresa pede reintegração e estima prejuízo em R$ 100 mil; MST já fez atos em 20 Estados em abril

A produtora de celulose Veracel entrou ontem com pedido de reintegração de posse de uma fazenda em Eunápolis (sul da Bahia) que permanece invadida por integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) desde a noite de terça-feira.

A empresa pede na Justiça o cumprimento do mesmo pedido de reintegração de posse concedido em duas invasões no ano passado. Desta vez, os sem-terra derrubaram ao menos 5 dos 4.700 hectares de eucalipto para plantar feijão.

A invasão faz parte do chamado "abril vermelho", promovido para lembrar a morte de sem-terra em Eldorado do Carajás (PA), em 1996. Segundo o MST, cerca de 400 famílias estão no local. Já a Veracel diz que são cem pessoas.

Os sem-terra afirmam que a invasão foi feita para pressionar o governo federal a avançar nas negociações sobre desapropriações de terra na região.

A empresa estima que os prejuízos já chegam a quase R$ 100 mil. Na invasão anterior, o prejuízo ultrapassou R$ 1 milhão, segundo cálculos da Veracel.

Por meio de nota, a empresa afirma que a "invasão desrespeita as determinações do Judiciário de Eunápolis, que determinou a reintegração, já cumprida no passado por duas vezes, sempre com desocupação pacífica do local".

Ainda de acordo com a Veracel, procedimentos do governo baiano mostram que as terras da empresa não são devolutas, o que anula "argumentos dos movimentos sociais que justificam invasões sob o pretexto de serem áreas passíveis de reforma agrária".

O MST também promove uma marcha com cerca de 5.000 integrantes que deve chegar a Salvador no domingo.

A direção estadual do movimento ainda não decidiu se a manifestação seguirá para a sede do governo estadual ou para a do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

No "abril vermelho" deste ano, o MST promoveu, até o momento, manifestações e invasões em 20 Estados.

 

Fonte: Folha de São Paulo – Matheus Magenta


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: