gado

Boiadeiros criam golpe no transporte de gado

Compartilhar

Transporte de gado é alterado para dar golpe em pecuaristas.

Veja também: Qual a suplementação mais adequada para novilhas de primeira cria?

Quatro galões de 250 litros de água, com peso total de uma tonelada, eram escondidos na carroceria dos caminhões e pesados junto com o veículo.

Agentes da Delegacia de Polícia Civil (DPC) de Niquelândia realizaram operação de combate à fraude na pesagem de carga bovina na “Região do Brueiro”, zona rural de Niquelândia, em Goiás. Um pecuarista desconfiou da armação e acionou a DPC, denunciando que a empresa de transporte de gado, prestadora de serviços de um frigorífico do interior de São Paulo, estaria adulterando o peso da carga para obter vantagem comercial.

A Polícia Civil de Niquelândia desarticulou na manhã da última quarta-feira, 6, um esquema que fraudava o peso da carga no transporte de gado entre a propriedade rural e o frigorífico. Vários caminhões pertencentes a empresa que presta serviços a um frigorífico de São Paulo eram usados no golpe.

Um pecuarista desconfiou do esquema e chamou a polícia, que foi até a propriedade acompanhar um carregamento e confirmou a fraude. Quatro galões de 250 litros de água, com peso total de uma tonelada, eram escondidos na carroceria dos caminhões e pesados junto com o veículo antes dele ser carregado.

Depois que os bois eram embarcados, o veículo seguia para nova pesagem, mas no caminho os galões eram esvaziados. O peso da carga, portanto, seria avaliado em uma tonelada a menos.

Ação da polícia

Os policiais civis foram até a fazenda, na manhã de quarta-feira (06/07), acompanhar o embarque do gado e confirmaram que os responsáveis pelo transporte colocavam vários tambores cheios de águas escondidos dentro do veículo antes das pesagens e após o embarque do gado os tambores eram esvaziados a fim de alterar o peso final.

EXEMPLO: no momento da primeira pesagem, sem a carga, é informado ao pecuarista que o caminhão pesa 20 toneladas, porém, na verdade o veículo pesa 19 toneladas, pois 01 tonelada equivale a água nos galões clandestinos.

O pecuarista embarca 21 toneladas de gado, no entanto os galões de água são esvaziados a caminho da nova pesagem, contabilizando o embarque de apenas 20 toneladas. O crime era repetido em outras viagens e em vários caminhões, resultando em prejuízo para o criador e lucro indevido para os transportadores e ou o frigorífico.

Os transportadores foram ouvidos na delegacia em Niquelândia e se comprometeram a ressarcir o pecuarista pelo prejuízo causado, o que pode chegar à R$ 50 mil, devido a quantidade de gado e caminhões envolvidos.

Como não houve flagrante, ninguém foi preso, pois a farsa foi descoberta antes que uma nova remessa de gado fosse embarcada, o Polícia Civil deve prosseguir com as investigações para apurar quem seria beneficiado com o esquema e enviar o inquérito à justiça.

A transportadora se comprometeu a ressarcir o pecuarista, mas a polícia segue com as investigações para apurar quem estaria sendo beneficiado com a fraude. Os responsáveis podem responder pelo crime de estelionato.

O prejuízo, naquela fazenda, foi estimado em R$ 50 mil. Outros criadores de gado da região também podem ter sido lesados, já que a empresa atua em outras cidades. Dessa forma, a matéria serve como um alerta para os pecuaristas no momento do embarque dos bovinos.

Esta matéria foi gentilmente compartilhada com o Portal da Cidade Uruaçu pelo jornalista Oesley Santos, do programa Niquelândia Notícias, apresentado na rádio 104,7 FM de Niquelândia. O objetivo, segundo o profissional, é estender o alerta aos criadores de gado da nossa região.

Fonte: Compre Rural. Imagem principal: Depositphotos (Meramente ilustrativa).

*Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!

*Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.

*Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!

*If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: