Reforma Tributária: Impactos Setoriais no Agro

Reforma Tributária: Impactos Setoriais no Agro

Compartilhar

Análise de Impacto Tributário em Diferentes Setores (empresas com ações na bolsa) do Agronegócio: em destaque

Facebook Portal Agron; Twitter Portal Agron; Grupo Whatsapp Portal Agron mantém você atualizado com as melhores matérias sobre o agronegócio brasileiro.

Veja abaixo a lista de outros artigos explicando detalhadamente sobre o assunto:

  1. Tudo sobre o impacto da reforma tributária no agro.
  2. Imposto sobre herança na reforma tributária afeta o agro.
  3. Reforma Tributária e o Agro: Impactos do Imposto do Pecado.
  4. Reforma Tributária: Impactos Setoriais no Agro.
  5. O cenário da Agricultura e Pecuária pós-Reforma Tributária: Desafios e Oportunidades.
  6. Impacto dos impostos no Agronegócio depois da reforma tributária.
  7. Reforma Tributária: Impacto na Cesta Básica.
  8. Reforma tributária mudará o destino do agro.

Qual é o impacto da Reforma Tributária em setores do Agro representado por grandes empresas e suas ações na bolsa?

A Genial Investimentos conduziu uma análise das mudanças propostas pela reforma tributária e identificou os impactos que poderão ser impostos sobre algumas ações em diferentes setores econômicos relacionados ao agronégocio (agricultura e pecuária).

Frigoríficos:

De acordo com a corretora, o setor de frigoríficos enfrentará possíveis impactos negativos. Atualmente, o setor é beneficiado pela isenção de tributos federais sobre produtos da cesta básica. No entanto, a reforma propõe uma alíquota reduzida (equivalente a 60% da alíquota geral aplicada a bens e serviços) para os itens da cesta básica. Isso significa que a isenção de tributos será eliminada, podendo resultar em um encarecimento dos produtos e uma consequente redução no consumo, especialmente prejudicial para frigoríficos com maior exposição ao mercado doméstico, como a BRF (BRFS3).


Por outro lado, outros frigoríficos negociados na bolsa apresentam características que podem mitigar os impactos negativos, como um maior foco em exportações, como é o caso da Minerva (BEEF3), ou uma menor dependência do mercado brasileiro, como a Marfrig (MRFG3), que tem sua atuação voltada para a América do Norte, e a JBS (JBSS3), que possui uma boa diversificação geográfica.

Agrícolas:

O setor agrícola atualmente lida com um sistema tributário complexo, com uma alíquota estimada em torno de 5%. O tratamento diferenciado é aplicado devido ao caráter social e estratégico do agronegócio, o que resulta em alíquotas reduzidas.

Entretanto, com a extinção dos antigos tributos para a criação de uma alíquota unificada do IVA Dual, espera-se um aumento significativo nas alíquotas, podendo chegar a 25%. Essa mudança pode ter um impacto negativo para o setor como um todo, especialmente para empresas como a Boa Safra (SOJA3), que está na base da cadeia produtiva e provavelmente será uma das mais oneradas.

No entanto, a proposta de desoneração das exportações é vista como um motivo de otimismo moderado para o setor agrícola, já que isso ajudará a manter a competitividade do agronegócio brasileiro nos mercados globais. Nesse sentido, a SLC Agrícola (SLCE3) é apontada como uma das empresas que provavelmente será mais beneficiada, dada sua posição de destaque como uma das maiores exportadoras de grãos.

Papel & Celulose:

Para o setor de Papel & Celulose, a corretora avalia o impacto da reforma tributária como neutro no segmento. Atualmente, as empresas desse setor são sujeitas ao pagamento de IRPJ, CSLL, ICMS, PIS, COFINS, IPI e ISS. Apesar disso, o setor se beneficia em PIS/COFINS pela exclusão do ICMS na base de cálculo e pela compra de insumos recicláveis, gerando créditos dedutíveis.

Além disso, a estrutura de impostos para o setor usufrui de algumas isenções para projetos no Norte e Nordeste através de SUDENE/SUDAM, bem como descontos por doações via Goodwill e créditos pela exportação de produtos manufaturados pelo programa federal Reintegra.

No entanto, alguns dos benefícios utilizados podem mudar com a reforma tributária, impactando a dedutibilidade de impostos. A substituição pela alíquota cheia do IVA pode acabar com os benefícios fiscais gerados pela compra de fibras e aparas recicladas, que atualmente servem para compensar as contribuições já embutidas no preço dos resíduos comprados, com o objetivo de equiparar o pagamento de impostos entre o uso de insumos reciclados e não reciclados.

Por outro lado, a redução de 50% na alíquota para bens e serviços do setor florestal e insumos agropecuários destinados ao consumo humano e de higiene pessoal pode trazer um reflexo positivo para as empresas de Papel & Celulose, dependendo da alíquota final definida.

Conclusão sobre o Reforma Tributária e os Impactos Setoriais no Agro

Em resumo, a reforma tributária pode trazer consequências diferentes para cada setor econômico, com alguns enfrentando desafios significativos, enquanto outros podem se beneficiar de medidas específicas. É importante que os investidores estejam atentos às mudanças propostas e considerem seus impactos ao tomar decisões no mercado financeiro. Além disso, devemos considerar que a reforma ainda será analisada no Senado — portanto, essas questões ainda podem sofrer mudanças substanciais.

Fontes: As informações apresentadas neste artigo foram resumidas a partir de diversas fontes, incluindo veículos de comunicação de renome, relatórios e documentos da Câmara dos Deputados e do Senado. Infelizmente, devido às limitações de espaço e formato, não foi possível citar as fontes específicas de cada trecho. No entanto, reconhecemos a importância e relevância dessas fontes na construção deste conteúdo e agradecemos sua contribuição para o embasamento deste artigo. Texto gerado por ChatGPT, um modelo de linguagem desenvolvido pela OpenAI, com contribuições e correções adicionais do autor. Imagem principal: Depositphotos.


Compartilhar

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp ( clique aqui ), ( clique aqui ) ou Telegram Portal Agron ( clique aqui ), Telegram Pecuária ( clique aqui ) , Telegram Agricultura ( clique aqui ) e no nosso Twitter ( clique aqui ) . 🚜 🌱 Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias ( clique aqui )

  • Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!
  • Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.
  • Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!
  • If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!
  • We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.
  • We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!

One thought on “Reforma Tributária: Impactos Setoriais no Agro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: