soja

Seca embaralha ranking dos maiores estados produtores de soja

Compartilhar

Seca embaralha ranking dos maiores estados produtores de soja; veja os top dez.

Veja também: Nova geração elétrica de caminhões da Scania

Com a estiagem do fim de 2021 e início deste ano, as posições do ranking dos maiores produtores sofreram modificações.

A colheita da safra 2021/22 de soja já está praticamente encerrada. Com os problemas de estiagem do final do ano passado e início deste ano, as posições do ranking dos maiores produtores sofreram modificações.

Assim, comparando a produção da temporada passada com os índices atuais, a mudança mais drástica aconteceu no Rio Grande do Sul, que perdeu a segunda posição. O estado colheu 20,7 milhões de toneladas no ciclo 2020/21 e, nesta safra, a estimativa é de apenas 9,1 mi/t, uma queda de 56%, deixando-o na quarta posição entre os maiores produtores. Os dados são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Quem passou para a vice-liderança foi o estado de Goiás, com 16 milhões de toneladas de soja, aumento de 10% ante à temporada passada, quando havia atingido 14,5 mi/t.

A outra alteração no ranking está no centro-norte do país. O Maranhão subiu do nono para o oitavo lugar, com 3,9 mi/t de soja produzida. Já o Tocantins vem logo em seguida, com 3,8 mi/t.

Mesmo perdendo 39% da produção, o estado do Paraná manteve a terceira colocação entre os maiores estados produtores da oleaginosa, com 12,2 mi/t.

Arte: Matheus Frois/ Canal Rural

Perda esperada

Para o diretor técnico da Emater do Rio Grande do Sul, Alencar Paulo Rugeri, a mudança no ranking do estado já era esperada. A baixa na produtividade foi ocasionada pela estiagem que castigou o estado gaúcho.

“Foi um ano muito difícil. […] É um impacto gigantesco na economia em função do volume e, principalmente, do preço que está sendo realizado em relação à soja. Eu tenho a sensação que o Rio Grande do Sul retoma essa posição [segundo lugar entre os maiores produtores] porque nós temos essa condição de expansão de área” explica.

A quebra na safra nacional só não foi mais intensa porque o Mato Grosso, beneficiado pelo clima, teve um aumento expressivo na produção, saltando de 36, 5 milhões de toneladas para 40,7 milhões de toneladas.

FONTE: CANAL RURAL. POR: VALÉRIA BURBELLO, DE CURITIBA (PR). Imagem principal: Depositphotos.

*Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!

*Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.

*Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!

*If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo protegido!
%d blogueiros gostam disto: