Exportações do agro

Exportações do agro somam US$ 13 bilhões em maio

Compartilhar

Exportações do agro totalizaram US$ 13,9 bilhões em maio deste ano, crescimento de 33,7% em relação ao mesmo período de 2020, segundo análise da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) com base nos dados do Ministério da Economia. Foi o quarto mês consecutivo de aumento das vendas externas em 2021 na comparação com os mesmos meses do ano passado.

De janeiro a maio, os embarques de produtos brasileiros do agronegócio para o exterior geraram receita de US$ 50,2 bilhões, alta de US$ 21,9% frente ao acumulado dos primeiros cinco meses do ano passado. Já o superávit comercial em maio foi de US$ 12,7 bilhões, o maior valor dos últimos 12 meses.

Na avaliação da CNA, o momento tem sido favorável às exportações, pois a recuperação econômica em curso no mundo favorece os preços das commodities. “China e Estados Unidos lideram os movimentos que envolvem aportes elevados de investimentos que asseguram crescente demanda por matérias-primas, o que deve contribuir para manter seus preços em alta e, portanto, o cenário internacional favorável às exportações brasileiras”.

Produtos – A soja em grãos liderou a pauta exportadora do agronegócio brasileiro em maio de 2021, com valor de US$ 7,3 bilhões, expansão de 56,3% em relação ao mesmo período de 2020 e participação de 52,7% no total das vendas externas mensais. O segundo principal produto foi açúcar de cana em bruto, com crescimento de 33,8% frente a maio de 2020 e receita de US$ 780 milhões.

Destaque também para o aumento das exportações de madeira compensada ou contraplacada (+211,6%) e o óleo de soja em bruto (+185%), que tiveram as maiores altas em maio. O algodão não cardado nem penteado também apresentou um bom desempenho, com elevação de 91,6% no valor exportado.

Destinos – A China foi o principal destino das vendas externas do agro brasileiro no mês passado, com parcela de 45,8% do total dos embarques. A União Europeia teve participação de 12,6%, seguida por Estados Unidos, com 6%. Na sequência aparecem: Turquia (3,1%); Tailândia (2,7%); Vietnã (1,9%); Coreia do Sul (1,7%); Japão (1,7%); Paquistão (1,4%) e Arábia Saudita (1,4%). Esta lista de países respondeu por 78,3% da pauta exportadora brasileira.

Em maio de 2021, houve aumento nas exportações para todos os principais destinos de produtos do agronegócio brasileiro em relação a maio de 2020, com destaque para Paquistão (+98,6%), Turquia (+85,3%) e Tailândia (+85,3%). Já as vendas para a China cresceram 40,6%.

Agro.BR – Todos os setores analisados pela CNA dentro do projeto Agro.BR tiveram alta de forma geral. Esta iniciativa, voltada para pequenos e médios empresários rurais, é feita em parceria com a Apex Brasil para aumentar a oferta de produtos do agro brasileiro no comércio exterior e promover a diversificação da pauta exportadora do Brasil.

As vendas externas de produtos apícolas cresceram 138,8% em maio deste ano em relação ao mesmo mês do ano passado, gerando receita de US$ 22,5 milhões, com destaque para o mel natural, responsável por 95,4% do total. Os Estados Unidos são o principal destino, com 73,3% do total, seguido por União Europeia (14,3%), Canadá (4,2%), Japão (3,5%) e Austrália (2,7%).

As exportações de lácteos somaram US$ 9,9 milhões em maio de 2021, crescimento de 94,5% frente a maio de 2020. Os itens de maior destaque foram leite em pó (US$ 3,9 milhões), leite modificado (US$ 1,9 milhão), queijos (US$ 1,4 milhão), leite condensado (US$ 1,0 milhão) e creme de leite (US$ 829,4 mil). Os principais foram: Argélia, Venezuela, Uruguai, Argentina e Chile.

A CNA destaca, ainda, os aumentos das exportações dos setores de frutas (49%), pescados (32,8%) e chá, mate e especiarias (25,1%).

Veja também: Relação da citocinina e a arquitetura de plantas

Agron Home

Fonte: CNA.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *