Mercado de soja deve ter dia lento no Brasil

Compartilhar

Em semana de USDA, mercado de soja deve ter dia lento no Brasil.

A tendência é de mais um dia de negócios moderados com soja nesta segunda no Brasil. Chicago registra leve baixa e o dólar volta a subir. Os preços tendem a permanecer perto da estabilidade, em patamares nominais. A semana é marcada pela divulgação do relatório de intenção de plantio do USDA.

O mercado encerrou a semana com preços regionalizados e negócios moderados. Cerca de 100 mil toneladas trocaram de mãos. Com dólar e Chicago em direções opostas, houve dificuldade na definição de uma tendência para as cotações.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 167,00. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 166,00. No porto de Rio Grande, o preço aumentou de R$ 173,00 para R$ 173,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço avançou de R$ 161,00 para R$ 162,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 171,50 para R$ 172,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 162,50 para R$ 163,00. Em Dourados (MS), a cotação seguiu em R$ 152,00. Em Rio Verde (GO), a saca avançou de R$ 156,00 para R$ 158,00.

Safra

A produção brasileira de soja em 2020/21 deverá totalizar 134,09 milhões de toneladas, com elevação de 5,4% sobre a safra da temporada anterior, que ficou em 127,178 milhões de toneladas.

A estimativa foi divulgada por SAFRAS & Mercado. No dia 29 de janeiro, data do relatório anterior, a projeção era de 133,104 milhões de toneladas.

Com a colheita se encaminhando para o final, SAFRAS indica aumento de 3,3% na área, estimada em 38,65 milhões de hectares. Em 2019/20, o plantio ocupou 37,43 milhões de hectares. O levantamento indica que a produtividade média deverá passar de 3.415 quilos por hectare para 3.487 quilos.

Colheita

A colheita da safra de soja 2020/21 do Brasil está em 66,9% da área total esperada até o dia 26 de março. A estimativa parte de levantamento de SAFRAS & Mercado. Na semana anterior o índice estava em 59,5%.

Os trabalhos estão atrasados em relação ao ano passado, quando 74,4% da safra já estava colhida, e também atrás da média normal para o período, que é de 69,6%.

Chicago

Os contratos com vencimento em maio operam com baixa de 0,32%, cotados a US$ 13,96 por bushel.

O mercado é pressionado pela firmeza do dólar frente a outras moedas, o que reduz a competitividade norte-americana no cenário exportador.

O mercado também se posiciona frente ao relatório de intenção de plantio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que sai na quarta-feira, dia 31.

A área a ser plantada com soja nos Estados Unidos em 2021 deverá apresentar um aumento consistente.

Segundo previsão de analistas e consultores, divulgada pela Agência QT News, o plantio deverá ocupar 89,99 milhões de acres. No ano passado, a semeadura ficou em 83,094 milhões de acres, conforme dados do Departamento.

Em fevereiro, durante seu Fórum Anual, representantes do USDA indicaram o plantio de 90 milhões de acres.

Prêmios

O prêmio em Paranaguá para abril ficou em -25 a -20 sobre Chicago. Para maio, o prêmio é de -20 a -16.

Câmbio

O dólar comercial registra valorização de 0,34% a R$ 5,76.

Indicadores financeiros

As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +0,5%. Tóquio, +0,71%.

As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,41%; e Londres, -0,12%.

O petróleo opera em alta. Maio do WTI em NY: US$ 61,48 o barril (+0,83%).

O Dollar Index registra estabilidade a 92,76 pontos.

Fonte: Agência SAFRAS.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *