Suínos: manejo e nutrição com prebióticos agrega valor às pequenas criações

Compartilhar

Demanda do consumidor por carne mais saudável e restrições governamentais incentivam produção sem uso de promotores de crescimento

Produtores rurais com pequenas criações de suínos podem agregar valor ao produto produzido ao optar por uma nutrição livre de antibióticos, os chamados ‘promotores de crescimento’. Isto é possível se os suinocultores aliarem um correto manejo de reprodutores, matrizes e leitões e da estrutura física com o uso de rações com prebióticos e conservantes naturais. A soma de ações gera um produto de maior valor agregado, alinhado a tendência do mercado, de oferta de proteínas mais saudáveis e sustentáveis aos consumidores. Desde 2020, Ministério da Agricultura, devido à recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), proíbe o uso de promotores como tilosina, lincomicina e tiamulina, em rações suínas, pela possível influência na saúde humana.

Conforme explica a médica veterinária Letícia Lopes Rocha, coordenadora de Produto e Trade Marketing na Guabi Nutrição e Saúde Animal, os mananooligossacarídeos são ingredientes alimentares não digeríveis e são denominados prebióticos . Segundo Letícia, eles possuem a capacidade de estimular o crescimento ou atividade de microrganismos benéficos, melhorar a absorção de nutrientes durante a digestão e também estimular o sistema imune, prevenindo enfermidades e potencializando o crescimento natural de leitões. “Essas moléculas (prebióticos) atuam impedindo que agentes patogênicos se fixem na parede intestinal. Com isto, há uma melhora da saúde de modo geral, melhor digestão, melhor absorção, e consequentemente, melhor desempenho ao produtor”, destaca.

Manejo adequado

O uso de rações com prebióticos e conservantes naturais deve ser realizado em conjunto com um manejo adequado. O correto dimensionamento da estrutura em que os suínos vão permanecer é o primeiro passo para garantir espaçamento e bem-estar, de acordo com a quantidade, o peso e a fase de vida de cada leitão. Outros itens relevantes são o controle de dejetos, disponibilidade de água e o tipo de comedouro oferecido.

Indicações

As rações suínas da linha Sabor e Tradição da Guabi utilizam o prebiótico mananoligossacarídeos, extraído de leveduras, como substituto dos promotores de crescimento. Os produtos são voltados para uma produção natural, com ótimos resultados e levando tecnologias naturais para os pequenos produtores. A ração “Do Sítio Deleitão Natural” é focada na alimentação de leitões de 07 a 70 dias de vida. Para suínos adultos, há três produtos disponíveis: “Do Sitio Porcria Natural ” ração para porcas em período reprodutivo; “Pronatura Porcria Concentrado ”, para matrizes em gestação e lactação; “Do Sitio Porceva Natural ”, voltado a fase dos de terminação. Já o “Pronatura Porceva Concentrado ” é voltado para as fases de crescimento e engorda e prevê a mistura com fubá de milho de acordo com a idade.

Sobre a Guabi Nutrição e Saúde Animal

A Guabi Nutrição e Saúde Animal é uma empresa que há mais de 46 anos se dedica ao desenvolvimento e fabricação de produtos de alta qualidade, voltados para o bem-estar de todo o ciclo: animais, produtores, criadores e consumidor final. Investe na qualidade dos insumos e tecnologias de ponta que garantam o melhor resultado, e é hoje uma das maiores empresas de nutrição e saúde animal do país. Tem forte atuação em todos os estados brasileiros e exportações frequentes para mais de 30 países. Atualmente, a Guabi possui seis unidades fabris distribuídas pelo Brasil, além de quatro Centros de Distribuição e de seu Escritório Nacional, em Indaiatuba/SP. Acesse: http://www.guabisaboretradicao.com.br/

Informações para imprensa

Centro de Comunicação

Bruna Robassa | brunar@centrodecomunicacao.com.br | (41) 99505-8888

Suelen de Paula | suelens@centrodecomunicacao.com.br |(41) 99836-2332


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *