lagarta-do-cartucho

Água no controle da lagarta-do-cartucho em lavouras de milho

Compartilhar

A água, uma importante ferramenta no controle da lagarta-do-cartucho em lavouras de milho.

Agron Home

Veja também: La Niña pode favorecer a ocorrência de geadas em MS

A lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda) é uma das principais e mais problemáticas pragas que acometem a cultura do milho. A lagarta possui grande capacidade em causar danos, atacando folhas do milho, causando sua raspagem e até mesmo a perfurando.

Em casos mais severos, é possível observar, excreções da própria lagarta e perfurações na base da planta, o que causa o sintoma denominado “coração morto”. Os maiores danos em decorrência da praga acontecem quando o ataque ocorre quando a planta se encontra com 8 a 10 folhas e durante períodos de seca.

Atrelado a grande capacidade da praga em causar danos, a Spodoptera frugiperda possui a habilidade em se abrigar no cartucho do milho, dificultando seu controle. Além do tratamento de sementes, aplicação de inseticidas via pulverização da parte aérea da planta é a principal forma de controle da praga, entretanto, a dificuldade dos produtos em atingir o alvo resulta em baixa eficiência de controle da lagarta na maioria dos casos.

Tecnicamente, visando o melhor controle da praga, recomenda-se o monitoramento das áreas de produção, avaliando a infestação da lagarta e danos com base nos níveis pré atribuídos pela escala de Davis. Quando for detectado 20% de plantas atacadas com nota igual ou maior do que 3 na escala, deve-se realizar o controle.

Tendo em vista a dificuldade de controle da praga, além do uso de inseticidas com eficiência comprovada e registro para a cultura, é necessário buscar alternativas de manejo que possibilitem o melhor controle da lagarta-do-cartucho, sendo a água, uma importante ferramenta para isso.

Avaliando a influência da água no cartucho do milho no controle de Spodoptera frugiperda com inseticidas, Bialozor et al. (2020) observaram que as pulverizações de inseticidas combinadas com água dentro dos cartuchos de milho reduzem os danos causados ​​por S. frugiperda nas fases iniciais de crescimento das plantas, e que a presença de água no interior do cartucho, seja de irrigação, orvalho ou chuva, aumenta a eficiência de controle de clorantraniliprole e clorfenapir para S. frugiperda (Bialozor et al., 2020).

Os autores avaliaram a eficiência de controle e níveis de danos da lagarta-do-cartucho, na safra e safrinha do milho (segunda safra), utilizando dois inseticidas, clorantraniliprole e clorfenapir e o uso ou não de água via irrigação, comparando os resultados com a testemunha (sem uso de água e sem aplicação de inseticidas).

Com base nos resultados observados por Bialozor et al. (2020), é possível observar que independente do período de cultivo (safra ou safrinha), o uso de água em conjunto a aplicação dos inseticidas contribui para a redução dos danos em plantas de milho, especialmente nos estádios iniciais do desenvolvimento da cultura.

Figura 3. Número (média ± erro padrão) de plantas de milho danificadas por Spodoptera frugiperda após pulverização com clorantraniliprole e clorfenapir, na primeira (A, B) ou segunda (C, D) safra, respectivamente. As linhas representam danos associados aos tratamentos sem água dentro do cartucho do milho, com água dentro do cartucho do milho e controle não tratado; e os jatos de pulverização sobre as linhas indicam os momentos de pulverização do inseticida.

Bialozor et al. (2020) observaram ainda que a água dentro do cartucho do milho combinada com clorantraniliprole reduz em mais de 10 % o número de plantas danificadas por S. frugiperda durante as fases iniciais de desenvolvimento, evidenciando assim, a importante contribuição da água no controle e manejo da lagarta-do-cartucho.

Figura 4. Efeito da presença de água dentro do cartucho do milho na porcentagem de plantas danificadas e escala dano de Spodoptera frugiperda em plantas de milho pulverizadas com clorantraniliprole em dois períodos de cultivo (safra e segunda safra).

Com base no estudo apresentado, pode-se concluir que chuvas, orvalho ou irrigações que possibilitem o molhamento do cartucho do milho, contribuem para o aumento da eficiência de inseticidas no controle de Spodoptera frugiperda e consequentemente, redução dos danos ocasionados pela praga na cultura do milho.

Referências:

BIOLOZOR, A. et al. WATER IN MAIZE WHORL ENHANCES THE CONTROL OF Spodoptera frugiperda WITH INSECTICIDES. e-ISSN 1983-4063 – http://www.agro.ufg.br/pat – Pesq. Agropec. Trop., Goiânia, v. 50, e59517, 2020. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/pat/a/mRs5mPBGS7YPtxbVJcqnrtS/?lang=en# >, acesso em: 19/01/2022.

Fonte: Equipe Mais Soja. Por: Maurício Siqueira dos Santos. Imagem principal: Depositphotos/Jukree(Jukree Boonprasit).


Compartilhar

2 thoughts on “Água no controle da lagarta-do-cartucho em lavouras de milho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: