CNA e Embrapa debatem expansão do trigo no Cerrado

CNA e Embrapa debatem expansão do trigo no Cerrado

Compartilhar

CNA e Embrapa debatem expansão do trigo no Cerrado. Projeto prevê expansão do trigo no Cerrado.

Agron Home

Veja também: Custeio avança e relação de troca é favorável em MT

CNA e Embrapa debatem expansão do trigo no Cerrado

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Embrapa e entidades do setor produtivo se reuniram, no dia 16/06, para debater a expansão da área de produção de trigo na região do Cerrado. A proposta da Embrapa Trigo é transferir conhecimentos e tecnologias para expandir e aumentar a competitividade da cultura do cereal, por meio de ações capazes de proporcionar maior adesão de produtores ao cultivo.

Na reunião, Jorge Lemainski, chefe-geral da Embrapa Trigo, afirmou que o impacto esperado é o aumento da área de trigo em 100 mil hectares até a safra 2023, o que reduziria em R$ 450 milhões as despesas com a importação do trigo. A princípio, a atuação do projeto será nos estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e São Paulo e no Distrito Federal.

Lemainski explicou que o projeto prevê sete atividades, dentre elas a organização da produção de sementes para garantir a expansão da área do trigo tropical, a transferência de tecnologias para a produção de trigo em regime de sequeiro e irrigado, o apoio da governança da cadeia produtiva de trigo no ambiente tropical e o fortalecimento do núcleo de pesquisa e transferência de tecnologia para o trigo tropical.

“Não há dúvida de que o trigo é a próxima revolução no Cerrado brasileiro. Mas primeiro é preciso evoluir na pesquisa e na difusão do conhecimento para o produtor rural”, disse Ricardo Arioli, presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA. Para Fábio Carneiro, assessor técnico da CNA, o projeto é fundamental para a difusão de novas opções para os produtores, para a geração de emprego no país, além do aumento da renda nacional.

Também participaram da reunião Hamilton Jardim, representante da CNA na Câmara Setorial do Trigo do Ministério da Agricultura, Rubens Barbosa, presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) e representantes das Federações de Agricultura da região do Cerrado.

Números

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), atualmente a Região Sul é responsável por 88% da área de produção do trigo brasileiro. A expectativa é que em 2021 os estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina produzam cerca de 2,3 milhões de hectares.

O principal centro de consumo do Brasil é a região Sudeste, com 42,3% do valor total, seguido do Nordeste (22,5%), Sul (19,4%), Norte (10,3%) e Centro-Oeste (5,5%). A estimativa para esta safra é uma produção nacional de 6,7 bilhões de toneladas de trigo.

Fonte: Embrapa.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *