Ações para assegurar abastecimento interno de milho

Compartilhar

Setor produtivo e governo avaliam ações para assegurar abastecimento interno de milho.

Medida emergencial está em fase de estruturação para permitir à Conab adquirir o grão via leilão público.

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu, nesta quinta-feira (22), com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e os Ministérios da Agricultura e da Economia para discutir medidas previstas pelo governo para o abastecimento de milho em 2021 e a operacionalização do Programa de Venda de Milho em Balcão.

O milho da venda em balcão vem dos estoques públicos formados por meio da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) e, em função dos preços atrativos, a Conab não precisou intervir no mercado para a formação de estoques desde 2017.

Durante a reunião virtual, a CNA defendeu a operacionalização do Programa de Venda de Milho em Balcão, uma vez que os elevados custos de produção e a oferta restrita do grão têm se tornado um gargalo para as atividades pecuárias no primeiro semestre de 2021.

De acordo com o vice-presidente da CNA, deputado José Mário Schreiner, o Programa serve como referência de preço do grão em diversos municípios das regiões Norte e Nordeste. “Caso o estoque seja esgotado, o risco é que os preços do milho nessas regiões se elevem ainda mais, especialmente em função da perspectiva de desabastecimento”, disse.

No encontro, foi informado que o Governo Federal está estruturando uma medida emergencial que permitirá à Conab adquirir milho via leilão público e garantir a matéria prima para abastecer o Programa e consequentemente as regiões que têm mais dificuldades de acesso ao cereal.

O presidente da Comissão Nacional de Desenvolvimento da Região Norte da CNA, Muni Lourenço, afirmou que os estoques para a operacionalização do Programa estão muito baixos, o que tem preocupado o setor agropecuário. “No estado do Amazonas, o Programa já atendeu 350 produtores e na primeira quinzena de abril apenas 17. A iniciativa é essencial para a manutenção de pequenos e médios produtores da pecuária”.

Lourenço defendeu ainda uma medida emergencial para esse momento dramático e a necessidade de ampliação de atuação estratégica, principalmente em cadeias mais sensíveis aos choques de oferta de insumos. Participaram do encontro o diretor do Departamento de Crédito e Informação do Mapa, Wilson Vaz de Araújo, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Economia, Rogério Boueri, e o diretor-executivo de Operações e Abastecimento da Conab, José Trabulo de Sousa Júnior.

Também estiveram presentes na videoconferência o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (Faes), Júlio Rocha, o presidente da Comissão de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Ricardo Arioli, os assessores técnicos da CNA, Fernanda Schwantes e Fábio Carneiro, e das Federações de Agricultura, além da equipe da Conab responsável pela operacionalização das compras de milho e do Programa de Venda de Milho em Balcão.

FONTE: DATAGRO.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *