A importância do uso de fibras funcionais na dieta de suínos

Compartilhar

São inúmeros os benefícios das fibras nas dietas dos animais monogástricos

O tema fibra ganha a cada dia mais importância por ser um componente nutricional de extrema importância para os animais, especialmente os de alta produção. Visto que as fontes tradicionais como farelo de trigo e casca de soja estão cada vez mais escassas e ainda podem trazer diversos contaminantes como micotoxinas e salmonela. “Por esta razão aditivos a base de lignocelulose ganham cada vez mais espaço entre os formuladores. Isso porque são ingredientes naturais livres de contaminantes e micotoxinas, capazes de suportar o bom funcionamento fisiológico de todo o sistema gastrointestinal, contribuindo para uma melhora na eficiência zootécnica dos suínos”, informa o Gerente Técnico da Feedis, Silvano Bünzen.

Um bom exemplo de solução tecnológica que age como aditivo nutricional e que está presente no portfólio da Feedis é o Opticell® C5. Uma fonte de fibra funcional, que quando incluído nas dietas dos animais dão suporte ao melhor trânsito peristáltico dos alimentos, além de oferecer substrato para o crescimento de bactérias benéficas, que melhoram a saúde intestinal. “Como consequência temos um melhor estímulo da função peristáltica, maior produção de ácidos graxos voláteis e um melhor equilíbrio da microbiota intestinal. Além disso, temos a produção extra de energia por meio desta fermentação desejável, o que melhora os níveis de saciedade dos animais, mesmo em condições de alimentação controlada. Isso permite animais mais produtivos e com melhores condições de bem-estar”, destaca Silvano.

De acordo com o Gerente Técnico, outra melhoria gerada pelo uso do Opticell® C5 é na fase de gestação, melhorando a condição fisiológica do animal resultando em ganhos consideráveis na qualidade da leitegada ao nascimento, além de um melhor desenvolvimento do aparelho mamário. “Quando usado na fase de lactação, o Opticell® C5 melhora a ingestão de água e aumenta a produção de leite, resultando em maior peso dos leitões ao nascimento. É um investimento onde podemos visualizar facilmente os benefícios”, salienta o Gerente Técnico.


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *