trigo

Cotação do trigo cede mas continua em patamar elevado

Compartilhar

O principal motivo da valorização do trigo é o conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

Veja também: Mercado de soja deve seguir travado

Os preços do trigo subiram drasticamente no mercado internacional e, consequentemente, no mercado doméstico embalados pelo conflito entre Rússia e Ucrânia. “O preço do trigo aumentou por causa da guerra. Como sabemos, a Rússia e a Ucrânia são grandes exportadores mundiais e isso deixou o mercado bem nervoso”, descreveu Christiano Erhart, um dos sócios da corretora gaúcha  Renato, associada à Bolsa Brasileira de Mercadorias. Segudo a Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo), a Rússia é o maior exportador mundial de trigo e a Ucrânia ocupa a 4ª posição neste ranking. Juntos, são responsáveis por cerca de 30% do mercado mundial de exportação do produto, o que corresponde a 210 milhões de toneladas.

Em função do cenário internacional, o trigo chegou a ter altas expressivas na Bolsa de Chicago, com o valor da tonelada chegando perto de US$ 14 por bushel no dia 7 de março, patamar que cedeu nas últimas semanas. “De duas semanas para cá, houve uma redução nos preços na tentativa de acomodar um pouco os valores”, destacou o corretor. Essa redução também se deve ao chamado movimento de realização de lucros, muito comum após altas expressivas nos mercados.

Aqui no Brasil, o mercado também está apertado em função dos grandes volumes exportados este ano, com mais de 2 milhões de toneladas embarcadas, o que ajuda a presisonar os preços. Segundo Erhart, os valores tendem a ceder. “Esses preços foram mais praticados pelas traidings, os moinhos não conseguem repassar esses valores para a farinha, por exemplo”. Nas últimas duas semanas, o preço da farinha chegou a cair 6% reduzindo a liquidez das negociações. Em contrapartida, o aumento do trigo no mês chegou a 25%. “Ainda falta um espaço de aumento na farinha para os moinhos conseguirem repassar a valorização da matéria-prima”, contextualizou.

No Paraná, principal produtor do trigo, a tonelada do trigo atingiu os R$ 2.000,00 este mês segundo o indicador da Bolsa Brasileira de Mercadorias. Hoje, o valor da tonelada está em R$ 1950,00 nas cidades de Cascavel, Maringá e Ponta Grossa, com valorização de 13,37% em 30 dias, apesar do recuo na semana. No Rio Grande do Sul, o valor mais elevado para o grão é observado em Júlio de Castilhos, por R$ 2.080,00, com valorização de 22,35% no acumulado de um mês. Já em Campos Novos (SC), a tonelada é vista a R$ 1.900,00, segundo levantamento das corretoras da Bolsa Brasileira de Mercadorias.

Por causa dessa situação de alta no mercado internacionaç, esta semana o governo argentino concedeu crédito à indíustria do trigo local na tentativa de forçar uma queda no preço do pão. A linha de crédito fornecida pelo país vizinho deve atingir 8 bilhões de pesos a taxas mais baixas para a indústria de moagem. A Argentina é o principal exportador de trigo para o Brasil, porém, o valor do trigo argentino está chegando aqui hoje acima do preço praticado no nosso país, tornando o produto dos hermanos menos atrativo. Com esse cenário, o momento é marcado por compasso de espera na indústria. “Muitos moinhos saíram do mercado e aguardam para se abastecer com novos lotes para ver se o preço do trigo cai. Hoje, moinhos do RS e SC estão quietos no mercado enquanto o PR compra pequenos lotes”, resumiu.

Em nota, a Abitrigo lembrou que “Outra questão que pode impactar o preço do trigo é a incerteza em relação aos fertilizantes, pois a Rússia é um dos maiores produtores do mundo e também fornecedor desse produto para o Brasil, além da influência dos fundos de investimento, que aumentaram suas posições nas commodities, ampliando a volatilidade dos preços”.

Fonte: Bolsa Brasileira de Mercadorias – BBM. Imagem principal: Depositphotos.

*Se o artigo ou imagem foi publicado com base no conteúdo de outro site, e se houver algum problema em relação ao conteúdo ou imagem, direitos autorais por exemplo, por favor, deixe um comentário abaixo do artigo. Tentaremos resolver o mais rápido possível para proteger os direitos do autor. Muito obrigado!

*Queremos apenas que os leitores acessem informações de forma mais rápida e fácil com outros conteúdos multilíngues, em vez de informações disponíveis apenas em um determinado idioma.

*Sempre respeitamos os direitos autorais do conteúdo do autor e sempre incluímos o link original do artigo fonte. Caso o autor discorde, basta deixar o relato abaixo do artigo, o artigo e a imagem será editado ou apagado a pedido do autor. Muito obrigado! Atenciosamente!

*If the article or image was published based on content from another site, and if there are any issues regarding the content or image, the copyright for example, please leave a comment below the article. We will try to resolve it as soon as possible to protect the copyright. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content and image of the author and always include the original link of the source article. If the author disagrees, just leave the report below the article, the article and the image will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!


Compartilhar

One thought on “Cotação do trigo cede mas continua em patamar elevado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: