Manejo da fertilidade do solo

Manejo da fertilidade do solo

Compartilhar

Manejo da fertilidade do solo. Plantio direto de qualidade e o nabo forrageiro como ferramenta auxiliar no manejo da fertilidade do solo.

Agron Home

Veja também: Ataque de insetos praga no Brasil

Em um sistema de cultivo, a rotação de culturas exerce efeito direto na qualidade e sustentabilidade de produção agrícola, contribuindo para a melhoria de atributos físicos, químicos e biológicos do solo, além de possibilitar maior uso da terra e lucratividade dos cultivos.

Com isso em vista, uma das premissas de um sistema plantio direto de qualidade é o uso da rotação de culturas, incluindo plantas de cobertura que possibilitem a melhoria de atributos do solo, além de servir como fonte de cobertura para ele, minimizando o efeito da erosão superficial. Dentre as plantas de cobertura com aptidão para uso no sistema de rotação de culturas, especialmente no Sul do Brasil, antecedendo a cultura do trigo, podemos destacar o nabo forrageiro (Raphanus sativus L.), planta cujas características incluem sistema radicular agressivo, elevada produção de biomassa e ciclagem de nutrientes do solo.

Por possuir um sistema radicular pivotante e agressivo, o nabo forrageiro é utilizado em muitas ocasiões como cultura descompactadora do solo, entretanto seus benefícios vão além da descompactação do solo e ciclagem de nutrientes. Conforma destacado por Jackson E. Fiorin – Pesquisador da CCGL, o nabo forrageiro possibilita inclusive a maior infiltração de água e corretivos no solo.

O sistema radicular do nabo forrageiro possibilita a abertura de “orifícios” no solo, os quais contribuem para a infiltração de água em maiores profundidades no perfil solo, atuando como galerias. Visto isso, essas “galerias” podem ser utilizadas inclusive para potencializar a distribuição de corretivos da acidez do solo nas camadas mais profundas.

Além de boas quantidades de nutrientes no solo, para a obtenção de boas produtividades é preciso garantir que esses nutrientes estejam prontamente disponíveis para absorção pelas plantas e o pH inadequado do solo pode ser uma das principais causas da indisponibilidade de nutrientes para as plantas, o que justifica a utilização de corretivos da acidez do solo.

Figura 1. Disponibilidade de nutrientes do solo em função do pH.

Entretanto, em um sistema plantio direto já consolidado, o revolvimento do solo para a correção da acidez em profundidade passa a ser um opção não desejada. Como forma alternativa, o uso de corretivos com maior mobilidade no solo vem se destacando. Aproveitando as galerias desenvolvidas pelo sistema radicular do nabo forrageiro decomposto, a utilização de corretivos agrícolas, principalmente dos óxidos de Cálcio pode ser uma interessante alternativa para a correção da acidez do solo em camadas mais profundas.

Figura 2. Sistema radicular do nabo forrageiro.

Corretivos agrícolas são os materiais que apresentam carbonatos, óxidos, hidróxidos ou silicatos de cálcio e de magnésio como constituinte neutralizante ou princípio ativo (Primavesi, 2004).

Além das tradicionais ações na descompactação do solo e ciclagem de nutrientes, o nabo forrageiro quando inserido de forma adequada no sistema de produção pode ser uma interessante ferramenta para o manejo da fertilidade do solo, possibilitando com que corretivos de acidez distribuídos em sucessão atinjam camadas mais profundas do solo.

Isso se dá através da distribuição de partículas de corretivos pelos orifícios presente do solo em função do sistema radicular decomposto do nabo forrageiro. Contudo, cabe destacar que toda ou qualquer ação visando a correção da acidez do solo deve seguir os resultados obtidos da análise química da fertilidade do solo e recomendações técnicas de um profissional capacitado.

Confira o vídeo Abaixo com as dicas e contribuições do Pesquisador da CCGL Jackson E. Fiorin.

Referências:

PRIMAVESI, A. C. Características de corretivos agrícolas. Embrapa, Documentos, n. 37, 2004. Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/61985/1/Doc37ACP2004.pdf >, acesso em: 29/06/2021.

—SIGA NAS REDES SOCIAIS —
Twitter: https://twitter.com/agrotwit

Facebook: https://www.facebook.com/PortalAgron
Instagram: https://www.instagram.com/portalagron
Youtube: https://www.youtube.com/portalagron
Grupo Telegram Agron pecuária: https://t.me/portalagron_pecuaria
Grupo Telegram Agricultura: https://t.me/portalagron_agricultura
Canal Telegram: https://t.me/portalagron
Site: https://agron.com.br
https://linktr.ee/Portalagron

Fonte: Equipe Mais Soja. Por: Maurício Siqueira dos Santos.


Compartilhar

3 thoughts on “Manejo da fertilidade do solo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *