Bem-estar animal e impactos ao meio ambiente podem vir da própria Natureza

Compartilhar

Diego Pelizari ¹, Luiz Carlos Demattê ²

As cadeias produtivas da pecuária têm sido alvo de críticas quanto à segurança alimentar, uso de antibióticos, bem-estar animal e impacto ambiental.

Além disso, outros agravantes têm aparecido, como o aumento de casos de mosca-do-estábulo. As moscas atrapalham a produção pecuária, afetando diretamente o bem-estar animal. Especificamente, a mosca-do-estábulo traz perdas produtivas e pode causar a morte de animais.

Um ambiente de produção com acúmulo de resíduos, como excretas animais, se não bem tratado acaba contribuindo para o excesso de liberação de gases nocivos, como amônia. A amônia em excesso estressa os animais e os cuidadores. Além disso, causa sérios problemas respiratórios nos animais e contribui para atração de moscas no ambiente.

Diante desse cenário, a Korin Agricultura e Meio Ambiente – empresa do Grupo Korin que tem como objetivo trazer soluções naturais para a agricultura, pecuária e meio ambiente – colocou no mercado, em 2020, sua nova linha de aditivos acidificantes que têm ação direta e indireta sobre esses desafios.

O uso combinado das tecnologias traz resultados expressivos no controle de moscas e carrapatos a partir da ação sistêmica, pelo bem-estar animal e controle de gases do ambiente de produção.

Uma das tecnologias atua pela água de bebida, promovendo saúde intestinal aos animais por meio de ácidos orgânicos com ação entérica, melhorando a resistência dos animais aos desafios. Possui também versão específica para aves e para suínos e a versão para bovinos pode ser usada para ovinos e caprinos em doses diferenciadas.

Outra tecnologia é aplicada no ambiente de produção, ajudando no controle de moscas, mas principalmente estimulando a diversidade biológica do local, trazendo equilíbrio para todo o sistema, evitando o desenvolvimento de patógenos. Tem efeito significativo também no controle da amônia.

Uma terceira tecnologia, aplicada na cama de forração da criação animal, proporciona eficiente fermentação, reduzindo a emissão de amônia, agindo no controle da proliferação de moscas.

Além disso, ainda existe uma quarta tecnologia, que é um acidificante de ação entérica específico para aves que estão passando por desafios digestivos, principalmente no caso de verminoses.

Esta linha de insumos naturais foi desenvolvida a partir de muitos estudos do Centro de Pesquisa Mokiti Okada (CPMO) em parceria com a Korin Agropecuária, empresa do Grupo Korin, pioneira na produção animal sem o uso de antibióticos e promotores de crescimento e na produção orgânica.  Ela faz uso destas tecnologias em todos os seus sistemas produtivos há muitos anos com sucesso.

Todo o mercado de criação animal pode usufruir dessas inovações. O estímulo biológico do sistema gera benefícios diretos na produção animal e ao meio ambiente.

Segundo os pesquisadores do CPMO e técnicos da Korin, a grande sacada foi sempre utilizar ingredientes e processos totalmente inspirados na Natureza.

¹ engenheiro agrônomo, gerente comercial da Korin Agricultura e Meio Ambiente.

² médico veterinário, diretor da Korin Agricultura e Meio Ambiente.


Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *