Capim amargoso afeta

Capim amargoso afeta a qualidade das sementes de soja?

Compartilhar

Convivência da soja com capim amargoso afeta a qualidade das sementes?

Agron Home

Veja também: Licenciamento ambiental com nova lei

Capim amargoso afeta a qualidade das sementes?

O capim-amargoso (Digitaria insularis) é uma frequente e preocupante planta daninha presente em lavouras de soja, que possui rápido crescimento e desenvolvimento, além de elevada produção de sementes e grande habilidade competitiva. A matocompetição do capim-amargoso com a soja pode causar perdas significativas de produtividade e a daninha ainda possui resistência conhecida ao herbicida glifosato, fato que aliado a sua grande capacidade de rebrote, dificulta ainda mais o controle do capim-amargoso.

É conhecido que o capim-amargoso pode causar perdas quantitativas na cultura da soja, mas essa daninha pode reduzir a qualidade das sementes de soja? Avaliando a influência da convivência do capim-amargoso na qualidade de sementes de soja, De Paula et al. (2020) observaram que a interferência do capim-amargoso na qualidade da soja pode estar condicionada a cultivar, sendo possível em alguns casos, observar redução de atributos como germinação.

Os autores avaliaram as cultivares de soja ST797 IPRO® e Garra IPRO® submetidas a convivência com diferentes densidades populacionais de capim-amargoso. Com base nos resultados observados por De Paula et al. (2020), não se obteve influência do capim-amargoso na qualidade das sementes da cultivar Garra IPRO®, contudo, para a cultivar ST797 IPRO®, os autores observaram influência da convivência com a planta daninha na redução da qualidade da soja.

De Paula et al. (2020) destacam que para a cultivar ST797 IPRO®, se perde uma semente normal (perda de 2%) a cada 1,3 plantas de capim-amargoso m-2, já com relação a sementes mortas, os autores verificaram que para cada 1,8 plantas de capim-amargoso m-2, aumenta-se uma semente morta (2%) e perdas de 1% na germinação podem ser observadas a cada uma planta de capim-amargoso em convivência com esta cultivar.

Figura 1. Resposta na qualidade de sementes produzidas de soja em função da densidade de infestação de capim-amargoso em duas cultivares de soja.

Ao considerar a infestação máxima de capim-amargoso (8 plantas m-2) observou-se perdas de 32% no número de sementes normais, 15% de sementes mortas e 16% na germinação para a cultivar ST797 IPRO® (De Paula et al., 2020). Os resultados observados pelos autores indicam haver interferência da convivência do capim-amargoso com a soja na qualidade das sementes produzidas pela cultivar ST797 IPRO®, podendo essas interferências estar condicionada a sensibilidade da cultiva. Logo, fica evidente a necessidade de se realizar um controle eficiente do capim-amargoso, não só visando reduzir as perdas quantitativas, mas também as qualitativas da soja.

Referências:

DE PAULA, I. M. et al. INFLUÊNCIA DA CONVIVÊNCIA DO CAPIM-AMARGOSO NA QUALIDADE DE SEMENTES DE SOJA. Revista Brasileira de Herbicidas vol. 19, n. 01, p. 1-6, jan.-mar, 2020. Disponível em: < http://www.rbherbicidas.com.br/index.php/rbh/article/view/696/696 >, acesso em: 21/01/2022.

Por: Maurício Siqueira dos Santos. Imagem principal: Depositphotos/Aerogondo2(Jovo Marjanovic).


Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: