Fungicidas multissítios no controle da ferrugem asiática

Fungicidas multissítios no controle da ferrugem asiática

Compartilhar

Fungicidas multissítios no controle da ferrugem asiática e na manutenção da produtividade da soja.

Agron Home

Veja também: Quais são e como manejar pragas de grãos armazenados

O manejo e controle de doenças fungicidas na cultura da soja é frequentemente discutido, principalmente com relação a eficiência de fungicidas e manejo da resistência de doenças a fungicidas. Conforme destacado por Godoy et al. (2020), com relação ao espectro de ação, fungicidas podem ser divididos em sítio-específicos e multissítios, onde diferentemente dos fungicidas sítio-específicos, fungicidas multissítios afetam diferentes pontos metabólicos do fungo e apresentam baixo risco de resistência, tendo um papel importante no manejo antirresistência para os fungicidas sítio-específicos.

Sendo assim, fungicidas multissítios vem sendo empregados no manejo e controle de doenças em soja, especialmente em condições onde há relatos de casos de resistências, desempenhando papel fundamental no manejo de doenças como a ferrugem asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi). A ferrugem asiática da soja é uma devastadora e agressiva doenças fungica que pode incidir sobre a soja em qualquer estádio do desenvolvimento da cultura, causando danos que podem refletir em perda de produtividade variando entre 10 a 90% (Grigolli & Grigolli, 2018).

Conforme recomendações do Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR), todo e qualquer programa de controle da ferrugem-asiática deve ser iniciado de forma preventiva a ocorrência da doença, e os fungicidas multissítios vem demonstrando importante participação no manejo da ferrugem.

Conforme observado por Godoy et al. (2020), avaliando a eficiência de fungicidas multissítios no controle da ferrugem-asiática na safra 2019/2020, fungicidas multissítios vem promovendo bom controle da ferrugem-asiática sejam eles usados de forma isolada ou associada, promovendo porcentagens de controle de até 80%. Mas além do efetivo controle da doenças outro fato que chama atenção é a contribuição do uso de fungicidas multissítios para o incremento de produtividade da soja.

Conforme resultados obtidos por Godoy et al. (2020), redução de produtividade de ate 26% foi observada no tratamento que não recebeu a aplicação de fungicidas multissítios (testemunha) em comparação ao tratamento mais produtivo, o que demonstra a importância desses produtos para a manutenção da produtividade da soja. Os tratamentos avaliados por Godoy et al. (2020), assim como os resultados contendo porcentagem de controle e produtividade da soja podem ser observados nas tabelas 1 e 2 respectivamente.

Tabela 1. Ingredientes ativos (i.a.), produto comercial (p.c.) e dose dos fungicidas avaliados em tratamentos associados para o controle da ferrugem-asiática da soja, na safra 2019/2020 (Godoy et al., 2020).

Tabela 2. Severidade da ferrugem-asiática, porcentagem de controle (C) em relação à testemunha sem fungicida, produtividade e porcentagem de redução de produtividade (RP) em relação ao tratamento com a maior produtividade, para os diferentes tratamentos. Média de 10 experimentos para severidade e 9 para produtividade, safra 2019/2020 (Godoy et al., 2020).

Embora Godoy et al. (2020) tenham observado bom controle da ferrugem-asiática com a utilização de fungicidas multissítios de forma isolada, o destaque vai para as associações de produtos, demonstrando essas, maior potencial de controle da doenças conforme observado na tabela 2. Além de possibilitar ganho produtivo em comparação a testemunha, e auxiliar no manejo da resistência a fungicidas, alguns fungicidas multissítios são conhecidos por proporcionar a redução da fitotoxicidade causada por fungicidas sítio-específicos quando utilizado de forma conjunta, por potencializar a ação de alguns fungicidas e em alguns casos por surtir efeito nutricional nas planta como é o caso do Mancozebe.

Sendo assim, fungicidas multissítios devem ser empregados como ferramentas fundamentais no manejo de doenças da soja, especialmente se tratando da ferrugem-asiática, visto que sua utilização surte benefícios diretos no manejo da resistência de doenças em soja e na produtividade da cultura.

Referências:

FRAC. NOVAS RECOMENDAÇÕES PARA O MANEJO DA FERRUGEM ASIÁTICA A SOJA. Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas, FRAC-BR, disponível em: < https://www.frac-br.org/soja >, acesso em: 21/06/2021.

GODOY, C. V. et al. EFICIÊNCIA DE FUNGICIDAS MULTISSÍTIOS NO CONTROLE DA FERRUGEM-ASIÁTICA DA SOJA, Phakopsora pachyrhizi, NA SAFRA 2019/2020: RESULTADOS SUMARIZADOS DOS EXPERIMENTOS COOPERATIVOS. Embrapa, Circular Técnica, n. 161, 2020. Disponível em: < https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/1124333/1/CT-161-OL.pdf >, acesso em: 21/06/2021.

GRIGOLLI, J. F. J.; GRIGOLLI, M. M. K. MANEJO DE DOENÇAS NA CULTURA DA SOJA. Fundação MS, Tecnologia e Produção: Soja 2017/2018, 2018. Disponível em: < https://www.fundacaoms.org.br/base/www/fundacaoms.org.br/media/attachments/303/303/5bf01cc3a7885009c9e47176f153fe5e967c6cb20f243_06-manejo-de-doencas-na-cultura-da-soja-somente-leitura.pdf >, acesso em: 21/06/2021.

Fonte: Equipe Mais Soja. Por: Maurício Siqueira dos Santos.


Compartilhar

2 thoughts on “Fungicidas multissítios no controle da ferrugem asiática

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *